sábado, 19 de outubro de 2013


Capítulo 14

Já se completavam dois dias do desaparecimento de David e Rebeca. A equipe de busca procurava sem sucesso alguma pista que os levasse até eles. Porém, quando já entardecia e podia se ver o crepúsculo, andando por uma mata fechada, acharam as mochilas deles.
Então, o chefe da equipe ligou para o professor dizendo que haviam encontrado suas mochilas e suspeitavam que eles pudessem ter caído na vala. O professor ligou para os alunos e pais, e imediatamente todos se dirigiram para o acampamento.
Enquanto isso, David e Rebeca se esquentavam em uma fogueira. Já havia escurecido, e fazia uma bela noite cheia de estrelas, tais quais nunca tinham visto antes.
- É tão estranho! – disse Rebeca rindo.
- O quê? - virou-se para ela.
- A gente se entendendo! - ela sorriu.
Os dois riram. Era incrível como ainda não haviam brigado.
- Sabe... – começou ela – eu sempre achei que você fosse um cara metido e mau caráter, mas... Você é bem legal.
- E eu sempre achei que você fosse só uma patricinha... Parece que eu estava enganado.
Os dois olharam-se por um instante.
- Sabe, nós nem sempre fomos ricos, meu pai teve que dar muito duro pra conseguir o que a gente tem... – Rebeca olhou fixamente a fogueira – às vezes eu sinto que... Eu quero fazer a mesma coisa... Lutar para ter um bom futuro, sabe?
- Pelo seu próprio esforço! – disse David subitamente.
Rebeca sentiu que pela primeira vez alguém a entendia. E percebeu que eles tinham mais coisas em comum do que imaginava.
- Eu sei como é! Meu pai acha que toda essa historia de banda é uma idiotice...- continuou ele.
- Eu não sabia que você... – Rebeca falou surpresa.
- Eu também não... Foi há uns dois anos atrás, depois que minha mãe morreu, descobri que meu pai não estava morto! – baixou os olhos. De alguma maneira aquele assunto não o agradava – ele é um ricaço que nunca se importou se eu existia!
- Talvez não seja tão ruim... Pelo menos você tem alguém agora. Que se importa com você!
- Ele não se importa comigo... Ele só quer alguém  pra continuar seus negócios... – ele fechou os punhos. Possuía o olhar perdido. De repente, sorriu mais descontraído  – É melhor não falarmos mais nisso!...Soube que vai fazer dezoito anos.
- É! As meninas estão planejando fazer uma grande festa, com baile...
- Um baile?
- Sim! – Rebeca percebeu em David certo desconforto – ...O que foi?
- Não, um baile é legal, só não é muito a minha praia, só isso!
- Por quê? – perguntou ela.
- Por que... Eu... Não sei dançar... – David disse com certa vergonha.
- O quê? Sério? - o encarou surpresa.
Rebeca levantou-se. Estendeu a mão para ele.
- O que foi? – David a olhou sem entender.
- Vem, vou te ensinar a dançar! - afirmou ela.
David hesitou sem jeito, porem, acabou cedendo as insistências dela.  Ele levantou-se e se aproximou.
- Muito bem David... Coloca as mãos na minha cintura!
David ficou sem reação. Com as mãos, então, ela colocou as mãos dele sobre sua cintura.
- Tudo bem, agora eu coloco as mãos no seu ombro! - falou ela autoritária. E com certa cautela, deslizou as mãos sobre o ombro dele.
Conforme Rebeca comandava David fazia, mostrava-se um pouco desajeitado, mas com um tempo foram se tornando mais suaves seus passos. No entanto, sem perceber David tropeçou, e caiu com Rebeca sobre ele. Os dois não conseguiram segurar o riso. Com os rostos perto um do outro não conseguiram evitar se olharem, e de repente se calaram. Rebeca envergonhada saiu de sobre ele.
- O que foi? – perguntou ela quase vermelha.
- Nada! – tentou ele consertar-se de não ter conseguido evitar olhá-la.
- É a minha aparência não é? Eu devo estar horrorosa depois de três dias sem maquiagem... – falou ela. Sem demonstrar, porém, nenhum tom de futilidade.
- Não, você está linda! –  sobressaltou-se ele aproximando-se -... Você é linda...
Rebeca o olhou. Seus olhos a desejavam. Deixou-se se perder neles. Sentiu David se aproximar. Sentiu seus lábios contra os seus. Com uma força que se misturava com sutileza. Como a expressão de um sentimento reprimido. E se surpreendeu, ao perceber que queria aquele beijo. Ela o queria. Tanto quanto ele.

13 comentários:

  1. nem preciso dizer que eu amei esse capítulo, neh?
    essa historia ta perfeita!que venha o proximo logo!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. nossa que lindo esse capitulo!!!
    to correndo ler os outros pq eu perdi essa semana:(
    adorei
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Que capítulo lindo e emocionante. Eu não conhecia seu blog, mas já adorei. Depois que li esse capítulo já fui ler os anteriores pra entender o que estava acontecendo.
    A música de fundo combinou perfeitamente.
    Beijos

    Blog: withoutidea.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que acompanhe e que goste!!!
      bjs

      Excluir
  4. bom parece que a rebeca ja está começando a gostar do davd! 0 pedro ja esta perdendo terreno!eu estou gostando da novela espero que os proximos capitulos sejam bem emocionantes!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ri com o seu comentario!
      fico feliz que esteja gostando!
      bjs

      Excluir
  5. Oiii Erika!! Nossa, não conhecia o seu blog!! Que legal!!!

    Preciso ler desde o começo!!! Já estou seguindo!!

    Beijos,

    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Que foooofo *-* Dá vontade de ser a rebeca :D (menos a parte de se perder HAHA) Adorei *-* escreve mais!

    beijo

    ResponderExcluir