segunda-feira, 7 de outubro de 2013


Capítulo 7

Rebeca ouviu seu coração acelerar. Pôde sentir a respiração de David perto da sua, com o rosto perto do seu. Num movimento brusco, ela se afastou.
- Rebeca... – disse ele como saindo de um transe.
- Eu não sei o que pensa de mim...  Mas não vai brincar comigo! Me deixa em paz David! – gritou ela. Saiu com rapidez. 
Depois disso, David estava em sua casa. Sheyla, sua melhor amiga, quis saber o porquê ele estava tão sério.
- Eu não entendo... – ele exclamou com os olhos fixos em um ponto – eu não consigo me controlar quando chego perto dela... - desviou o olhar -  e ela ainda gosta daquele mané!
- Você está... Gostando dessa garota? – perguntou Sheyla o examinando surpresa.
- O quê? Não! Eu não gosto dela...
- Sei...
- Olha aqui... Nenhuma garota vai me amarrar, ta legal? - afirmou convencido.
Sheyla o conhecia muito bem. Desde que ela tinha fugido do orfanato, não tinha família, e David era como um irmão para ela. Talvez não gostasse de Rebeca, mas de alguma forma ela mexia com ele.
À noite, Rebeca se arrumava para o encontro com Pedro. Tentando esquecer, porém, da conversa que tinha tido com David, e o que quase tinha acontecido. E pensar, que teria que vê-lo todos os dias. Ela só conseguia sentir ódio dele, nojo.
Enquanto isso, David, para afastar seus pensamentos de Rebeca, decidiu ligar para Raquel:
- Oi Raquel... É... Que tal, se a gente sair agora?
- Claro!... Deixa só eu ir me arrumar! – ela respondeu, sem disfarçar o entusiasmo.
Pedro foi até a casa de Rebeca, para buscá-la. No entanto, quem o atendeu foi seu pai.
- Ah! Oi... Sr. Paulo! – cumprimentou Pedro quase tremendo.
- Quem é você? – o senhor o olhou de cima a baixo.
- É... Eu sou o Pedro...
- Sei...
- Pai! ... – Rebeca chegou logo. Colocou as mãos sobre os ombros do pai – É... Não quer ir lá pra dentro? - quando seu pai saiu, dirigiu-se a Pedro envergonhada - é... Me desculpa!
-Tudo bem... - sorriu. Abaixou os olhos até ela - Você está linda!
Ela respondeu com um agradecimento tímido.
Indo os dois para o encontro, Rebeca se assustou ao deparar-se com Raquel e David na porta do clube.
- Ah! Que coincidência! – falou Raquel simpática.
Rebeca olhou David friamente nos olhos. Tentando disfarçar, porém, sua raiva por ele.
- Bom, nós podemos entrar e fazer um encontro duplo! – sugeriu Raquel animada.
- Me desculpa amiga, mas eu perdi a fome! – contestou Rebeca. E virando-se para Pedro – Podemos ir a outro lugar?
- Claro! – ele respondeu, olhando para David para o provocá-lo.
Quando os dois saíram, Raquel virou-se para David confusa:
- O que será que deu nela?
- Não vamos perder nosso encontro por causa dela! – resultou David sério.
Então, pegando sobre ela a beijou.
A caminho de casa, Rebeca se desculpou com Pedro. 
- Não tem problema! - disse simpático. Ele, então, pegou em sua mão. 
Ela quase bambeou. Ele aproximou-se. Mas, quando foi beijá-la, o pai de Rebeca apareceu, e mandou que ela entrasse.
- Eu tenho que ir! – Rebeca desculpou-se entrando.
“Droga”. Pensou Pedro. ”Mas não importa, o que importa é aquele idiota viu a gente junto”. Pedro sabia o quanto sua tarefa de conquistar Rebeca seria fácil, pois para ele, ela era só uma garota ingênua. E que conseguiria o que quisesse dela com facilidade.

13 comentários:

  1. Adorei esse capitulo!!!
    morrendo de curiosidade pelo proximo!!!

    ResponderExcluir
  2. Nossa muito bom o capitulo parabens!!!
    qnt emoçao haha
    morrendo de curiosidade!!!

    ResponderExcluir
  3. Não parei ler um tempão haha
    viciei nessa web muito boa!!!
    ansiosa pelo proximo!!!
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Me identifiquei muito com Rebeca ela é muito esquentada kkk
    To amando essa web parabens!!!
    sempre k tive novo capitulo vo ta comentando!!
    bjs

    ResponderExcluir
  5. eu nunca fikei tao viciada em uma web kkkk
    muito boa!!!
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Esperando a continuação...
    Última semana do sorteio no nosso Blog.
    Beijos U&B
    www.unhasebocas.blogspot.com.br
    www.facebook.com/pages/Unhasbocas/477832645611169

    ResponderExcluir