sexta-feira, 15 de novembro de 2013


Capitulo 32

- Já chega! – Rebeca disse com raiva.
Afastou-o com força e saiu rapidamente. Deixando-o sozinho com uma expressão séria.
Raquel subiu ao palco e anunciou que era hora da balada. O DJ começou a tocar uma musica mais agitada. E todos começaram a dançar. Sem perceberem o que tinha acontecido.
Henrique olhou Nicole que estava perto do balcão de bebidas. 
- Então... Está gostando da festa? - Julia perguntou sorrindo para ele.
- Sim... - respondeu rapidamente - é... Quer um refrigerante? - disfarçou, sem deixar de olhar para a direção de Nicole.
- Claro! - Julia aceitou, deslumbrada com sua atitude.
Henrique foi em direção a seu alvo. Observou Nicole parada impaciente. 
- E ai Nicole? - cumprimentou sem jeito.
- Oi... - respondeu sem olhá-lo, parecia inquieta. 
- É... Eu vi que você veio com o David... Eu vim com a Julia, sabe... Ela é muito bonita e simpática... - insinuou tentando fazer ciúmes nela.
- Ah, desculpe, me dá licença? - Nicole saiu deixando-o falando sozinho. Foi em direção a Tomás - você viu o David? - perguntou apressada.
- Não - respondeu o outro.
Ao chegar à sacada, Rebeca olhou a noite. Estava linda. Porém, dentro de si, estava escuro. Por que ele continuava a procurá-la? Por que se aproximava?
Sentiu uma presença atrás de si.
- Rebeca... Me desculpa... – cerrou os pulsos – eu sou um idiota...
Rebeca virou-se bruscamente.
- O que você quer?... Me enganar?... Me conquistar pra depois ficar rindo de mim? – gritou com agressividade e aproximou-se dele – como foi capaz de mentir pra mim por uma aposta?
- Eu nunca menti pra você! – gritou David se defendendo.
- Eu não acredito!
- Eu nunca fiz aposta nenhuma! – disse firmemente.
- Ah é? E por que nunca me disse isso antes? – indagou-o Rebeca.
- POR QUE EU NÃO SENTIA O QUE SINTO POR VOCÊ AGORA! – gritou ele de sobressalto, sem perceber o que tinha dito.
Rebeca ficou sem reação. David se aproximou mais e continuou:
- Rebeca... Eu... Nunca gostei de uma garota como gosto de você! Eu... Não consigo parar de pensar em você... E eu não consigo me controlar quando estou com você! – olhou os olhos dela que estavam trêmulos – e sei que sente o mesmo!
Rebeca se surpreendeu ao ouvir as palavras que mais temia, e as que mais desejava.
- Não... Eu não posso... – foi só o que ela conseguiu dizer em meio a tudo.
Ao tentar sair, sentiu seu movimento detido pela mão de David.
- Eu não vou deixar você ir desta vez! – falou ele decidido.
Puxou-a pra perto pelo pulso. Com a mão, aproximou o rosto dela do seu. Sua boca da sua. Com força, como de um desejo esperado, beijou-a.
Tomás aproximou-se de Henrique que parecia desconsolado. 
- E ai? Como está indo com a sua princesa? - riu-se ele referindo-se a Nicole.
- Ainda nada! - falou com raiva - essa sua ideia de fazer ciumes nela não serviu pra nada!
- Claro, você dá muito mole pra ela! A Nicole é muito arrogante... Quer saber? Nem sei por que você dá moral pra essa garota metida!
- Não fala assim dela! - o outro brigou.
- Tá legal! - Tomás riu desculpando-se - então por que não volta pra sua namorada? - apontou para Julia - ela deve estar te esperando!
Henrique, então, lembrou-se dela, que há muito tempo havia deixado sozinha.
Enquanto isso, Raquel se aproximou de Viviane:
- Vih, você viu a Rebeca?... A gente precisa tirar as fotos! – Raquel perguntou.
- Parece que eu a vi indo pra sacada! – respondeu a outra.
David encostou seu rosto do dela. Rebeca respirava pesado no mesmo ritmo que ele. Ele colocou as mãos no rosto dela e olhou-a firmemente.
- Rebeca... Eu preciso de você!... Confia em mim...
Ela levantou os olhos em sua direção. Permitiu mergulhar-se neles. Pôs as mãos em seu rosto lentamente, sentindo as cicatrizes. Aproximou-se de sua boca instintivamente. Se entregando ao que sentia, o beijou. Revelando seus verdadeiros sentimentos por ele.
Raquel ao chegar à sacada procurando por Rebeca sentiu como um choque ao vê-los. Encostou-se atrás do alabastro se escondendo.
Desprendendo-se dele Rebeca abaixou o rosto. Encostou a testa na dele.
- David... Acho melhor ir embora... – sua voz saiu trêmula. Embaçada pela respiração pesada.
- Antes promete que vai pensar... – exclamou ele olhando-a.
-... Sim – ela respondeu finalmente sem saída – eu prometo...
Ele a beijou fortemente mais uma vez e saiu. Raquel ao vê-lo sair, escondeu-se atrás da coluna.
Rebeca ainda sem reação colocou a mão sobre os lábios. Fechou os olhos.
Voltou à festa, para que ninguém suspeitasse de nada.
- Viviane, você viu a Raquel? – perguntou Rebeca.
- Ela estava procurando por você! – respondeu Viviane – bom, eu e o Lucas temos que ir agora.
Rebeca despediu-se de todos da festa, que pareceram ter gostado. Rebeca estranhou não ver Raquel, mas achou que pudesse ter ido com os outros. Pedro se aproximou. Parecia preocupado.
- Rebeca... Você está bem? Parece triste... – perguntou ele.
- Não, eu... Estou ótima – falou tentando demonstrar felicidade.
Pedro olhou para Tomás e Henrique que saiam e sorriam maliciosamente para ele. Era hora de cumprir sua aposta. Recuperaria seu respeito e reputação no colégio.
- Podemos conversar no seu quarto? – perguntou Pedro – tenho que falar uma coisa com você...
Rebeca acabou consentindo. Pedro levou-a pegando em seu braço.
Ao chegarem ao quarto de Rebeca, Pedro convidou para sentarem em sua cama.
- Você... Está muito linda hoje... – disse ele e tentou beijá-la.
Rebeca levantou-se bruscamente.
- Obrigada... – respondeu virando o rosto. 
- O que foi Rebeca? – indagou-a confuso. Ergueu-se também.
- Eu... – começou Rebeca – Também tenho algo importante pra te dizer... - apertou as mãos insegura.
- Esquece isso agora... – falou ele tentando beijá-la novamente.
- Pedro... – Rebeca desviou-se dele -...Não podemos continuar mais!
- Do que está falando? – aproximou-se.
- Eu... Não sinto mais o que sentia antes por você - os olhos baixaram-se – eu sinto muito...
- Eu não entendo... – Pedro cerrou os pulsos –...Isso tem haver com o David não é?
- Pedro, por favor... Eu não quero te magoar... Você tem sido tão bom comigo... - reclinou o rosto, uma lágrima ameaçou cair -  É tudo culpa minha...
Pedro não podia acreditar no que estava ouvindo. Tinha certeza que Rebeca estava fazendo isso por causa de David. Não suportava a ideia de perdê-la para ele. Ele iria pagar.
- Está bem... – disse finalmente ele com raiva. Saiu fechando a porta bruscamente.
Rebeca encostou-se a porta. Fechou os olhos com força. Uma lágrima se desprendeu. Não queria tê-lo feito sofrer. Mas não podia enganá-lo.
Quando desceu até a sala, de repente, ouviu um barulho atrás de si. Virou-se. Era Raquel. Algo parecia haver mudado em sua expressão. Uma escura penumbra estava em seu rosto.

2 comentários:

  1. Adorei o cap de hoje muito emocionante... fiquei triste pela Rebeca mas o que importa e que ela pode dizer a verdade pro David
    continue postando:)
    bjs

    ResponderExcluir
  2. cara essa historia é mega envolvente e precisa virar um livro
    vou tentar arrumar tenpo pra ler os capitlos anteriores pra poder acompanhar melhor

    paraomaridinho.blogspot.com

    ResponderExcluir