segunda-feira, 9 de dezembro de 2013


Capitulo 50

Pâmela atravessava os corredores. Nicole ao vê-la se aproximou.
- Você é que é a nova aluna? – ela perguntou. E em seu tom demonstrou desdenho – Meu nome é Nicole!
- Pâmela! – ela respondeu séria.
- Sabe... Achei estranho uma aluna se transferir no meio do ano...
- Vim aqui atrás de uma pessoa! – falou Pâmela diretamente – sou ex namorada de David Martins.
- Não brinca! – Nicole comentou surpresa – Aposto que a Rebeca ia adorar te conhecer! – falou pra si mesma rindo maliciosa.
- Rebeca? Por acaso é amiga dela? – perguntou Pâmela em um tom obscuro.
- Eu? Nunca seria amiga de uma garota tão falsa e metida à santa como ela! – disse com raiva – ela e Raquel não são confiáveis!... Eu ainda vou me vingar delas! - comentou consigo mesma.
Pâmela sorriu. Talvez essa amizade lhe valesse de algo.
Rebeca estava animada para o seu primeiro dia no estágio de cuidadora do colégio santa clara. A instrutora estava feliz com o trabalho dela. Era muito atenciosa e disciplinar com as crianças.
Rebeca foi chamada por ela no final do dia.
- Aprovei muito o seu trabalho Rebeca – a instrutora lhe disse sorrindo – tem muito futuro na profissão de professora!
- Obrigada – Rebeca sorriu encabulada – não sabe como isso é importante pra mim Sr. Cintia.
- Muito bem... Quero que conheça o nosso mais novo voluntário... – ela levou Rebeca pelos corredores da escola – ele se candidatou recentemente e se mostrou bastante empenhado!
Rebeca teve uma surpresa ao ver a instrutora lhe apresentar Pedro, com a camisa da escola.
- Quero que você lhe ensine o que se dever fazer!– Sr. Cintia saiu deixando Rebeca com a ordem.
Pedro sorriu se aproximando. Rebeca distanciou-se.
- O que está fazendo aqui Pedro? - perguntou-lhe diretamente, e em seu rosto mostrou seu desconforto.
- Eu pensei em me voluntariar para ajudar as crianças...
- Sei! – ela tentou ir embora.
- Espera Rebeca... Eu preciso falar com você! – ele pegou no braço dela a impedindo de sair pela porta.
- Me solta! Eu não tenho nada pra falar com você! – ela vociferou largando soltando-se – não pense que eu não sei o verdadeiro motivo de você vir até aqui... Eu não vou cair na sua conversa!
- Eu não vim aqui te enganar... Vim te pedir perdão! – a voz dele saiu definitiva – pensa Rebeca! Por que eu estaria aqui se não fosse por estar arrependido? Eu já perdi a aposta... Mas não foi o que mais me importou em perder!
- Me esquece! Por favor! – ela lhe falou magoada.
- Eu sei que você gostava de mim Rebeca! – Pedro aproximou-se mais a fixando.
- Sim! – ela confessou – mas você... Você só foi uma paixão boba de uma garota ingênua... Mas essa garota mudou! Você me enganou Pedro e nunca vou te perdoar por isso! – Rebeca afirmou definitivamente. De repente, mudou a expressão  –... O que você sente pela Raquel? – ela o indagou desconfiada.
- Nada! Você sabe que eu só gosto de você Rebeca! – ele disse se aproximando mais.
- Então fica longe dela! – ela ordenou firmemente. Fechou a porta indo embora.
Ao sair da escola Rebeca teve mais uma surpresa ao ver David. A esperando encostado a moto, com os braços cruzados. Ele lhe sorriu quando ela se aproximou.
- Oi!
- O que veio fazer aqui? – ela lhe perguntou nervosa.
- Vim buscar minha namorada! – David respondeu sem entender. Pegou na cintura dela para beijá-la, porém, ela desviou-se bruscamente.
- David tá maluco, e se alguém nos ver?
- Qualé Rebeca? Quem nos veria aqui? – ele perguntou confuso.
Rebeca olhou com o rosto sério para o lado. David olhando na mesma direção viu Pedro sair da escola e entrando no carro. Porém, ele não viu os dois.
- O que esse idiota está fazendo aqui Rebeca? – David se levantou para ir atrás dele, no entanto, Rebeca o impediu.
- Ele veio atrás de mim!... Mas não importa! Eu não gosto dele!
- Eu não quero ele perto de você... – David cerrou os olhos na direção do carro.
- Confia em mim! É só você que me importa! – Rebeca pegou o rosto dele com as mãos para sua direção.
Olhou em seus olhos. Ele viu a certeza sem precisar de palavras. Beijou-a de leve com as mãos em seu queixo. Ela sorriu. Puxou-o pra perto pela jaqueta e encostou seus lábios com força, intensidade e desejo.
Pedro chegou a casa transtornado. Ela tinha o rejeitado novamente. Não conseguia esquecê-la. E tinha certeza que ela gostava de David. Perderia para David novamente. E isso não podia suportar. Seria um perdedor. O que o seu pai odiava. Fechou-se no seu quarto. Pegando embaixo das roupas na gaveta, uma garrafa de vodca.
Rebeca chegou contente a casa.
- Suzana... – cumprimentou a empregada – viu o meu pai?
- Ele está trabalhando... – a empregada respondeu toda atrapalhada com roupas e cartas que acabavam de chegar.
- Deixa que eu levo esses papéis pro escritório! – Rebeca se ofereceu sorrindo.
A empregada hesitou a entregar. Mas não conseguiu diante das súplicas dela.
Rebeca entrando no escritório deu uma olhada em um envelope. Abriu. Sentou-se assustada.
Seu pai chegou abrindo a porta.
- Que documentos são esses?– ela o encarou séria.

4 comentários:

  1. nossa muito ansiosa pelo proximo amiga:)
    beijos

    ResponderExcluir
  2. continue postando!!!
    estou amando a web!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. amiga que historia linda dessa web!!!
    me avisa que eu venho sempre conferir, ok?
    beijos

    ResponderExcluir
  4. só quero ve o que vai acontece no proximo cap!
    mais...
    xoxo

    ResponderExcluir