quinta-feira, 19 de dezembro de 2013


Capitulo 58

David aproximou as mãos das grades, apertou-as fortemente. Cerrou os olhos. Não podia acreditar que estava preso. Mas sabia que merecia estar ali, pelos erros que tinha cometido. Não queria ver Rebeca, não queria que ela o visse nessa situação. Sentiu-se mal. Seria igual a seu pai e isso não podia suportar. Não aguentava a sensação de ser igual a ele. Encostou-se a parede pensativo.
Rebeca foi até a casa de Pedro. Entrou no quarto dele o pegando de surpresa.
- Eu sei o que você fez! – ela vociferou se aproximando dele.
- Rebeca?... – ele não pôde responder diante da surpresa de vê-la.
- Eu sei que você denunciou o David pra que ele fosse preso! – ela gritou com raiva.
- Não!... Eu não fiz isso Rebeca!
- Ah! Não se faça de cínico Pedro! Eu sei muito bem que você odeia o David e era o único que sabia do racha! – ela rebateu ofensiva.
- Não, eu não fiz nada! – ele queria contar sobre Alex, mas não podia.
Pedro se aproximou calmamente. Rebeca recuou.
- Rebeca... Você sabe que eu nunca faria nada pra te magoar... Acredita em mim! Eu gosto de você! – ele olhou-a diretamente nos olhos.
Rebeca sentiu nele a verdade.
- Se não foi você... – ela começou confusa – quem foi?
- Eu... Não sei! – ele falou relutante.
Na delegacia, Sergio Martins, chegou rapidamente para ver David.
- Preciso ver meu filho! – ele disse firme.
- Está bem! – o delegado consentiu – guardas! Chamem David Martins para a sala de visitas! – ele ordenou – sente-se senhor! – mostrou à cadeira a frente de sua mesa.
O pai de David se sentou.
- Quero saber do que o meu filho é acusado! – afirmou Sérgio.
- Sim... Testemunhas o denunciaram de ter disputado um raxa em um clube...
- Mas isso é uma bobagem! Isso é só coisa de jovens para se divertirem! – desdenhou Sérgio sem interesse.
- Não sei como funciona na Espanha senhor Sérgio, mas aqui é crime! – afirmou o delegado relutante – ele não tem advogado a sua disposição...
- Então deixem que eu arrumarei o melhor advogado para defender meu filho! – o pai de David vociferou arrogante. Porém em seu íntimo, com amor paterno.
Ao ser avisado que seu pai queria vê-lo. David hesitou de ir conversar com ele.
- Eu não quero vê-lo! Ele não tem nada que fazer aqui! E não quero nenhuma defesa que venha dele! – David se recusou furioso.
Após os guardas muito insistirem e não conseguirem nada, saíram. David bateu na parede com força. Não queria nada que viesse de seu pai.
Rebeca chegou à casa intrigada. Quem poderia tê-lo denunciado? Raquel abriu a porta de seu quarto.
- Oi amiga!... Tudo bem? – ela perguntou preocupada.
- Não! – Rebeca apenas respondeu. Abraçou forte sua amiga – o David foi preso!
- O que? – Raquel se assustou – o que ele fez?
- Amiga eu não te contei, mas... O David disputou um racha no clube por causa de uma aposta!... Alguém que esteve lá o denunciou!
- Quem poderia ter sido?
- É isso o que venho me perguntando... – Rebeca respondeu cabisbaixa – é alguém que com certeza quer prejudicar ele!..Alguém mexeu na minha bolsa e mandou uma mensagem pro David, dizendo pra ele me encontrar, bem na hora que o meu pai chegou e nos viu... Alguma coisa me diz que isso não é coincidência!
- Acha que pode ter sido a mesma pessoa? – Raquel a indagou intrigada -... Só pode ser a Nicole! Ela é a única que faria isso!
- Eu não sei... A Nicole não estava no clube... E além do mais, ela não faz nada sozinha!
Rebeca nem imaginava que era Pâmela que estava por trás disso tudo.
Os guardas foram avisar o delegado que David se recusava em ver o pai.
- Ele se recusa em vê-lo senhor! E disse que não quer que o senhor o defenda... Não podemos obrigá-lo a aceitar! – o delegado avisou o pai de David.
Senhor Sérgio apesar de manter a seriedade, sentiu-se quebrado por dentro. Sabia que seu filho nunca o perdoaria.
- Muito bem... – ele apenas disse. Saiu rapidamente.
Após, Rebeca estava em seu quarto, pensava no que tinha acontecido. Queria ver David. Não conseguia aguentar a saudade de vê-lo. Senti-lo.
A porta abriu-se a assustando. Era a empregada.
- Eu soube do David! – ela disse triste.
- Não contou nada pro meu pai, não é? – Rebeca perguntou aflita.
- Claro que não! Eu sei como o seu pai é! – a empregada comentou em tom de comédia.
- Eu tô muito preocupada Suzana! – Rebeca baixou a face - eu só queria poder ver ele! Saber se está bem...
- Bom... Eu tenho algo pra te animar! – mostrou na outra mão o cachorrinho que David tinha dado a Rebeca.
- Slash! – Rebeca pegou-o contente. Acariciou-o contra a face – você o trouxe!
- Bem... Agora que o seu pai já sabe sobre o David, vi que não tinha por que mantê-lo em minha casa! – a empregada sorriu.
Rebeca abraçou Slash forte em seu colo. Sorriu. Esqueceu-se um pouco da tristeza. Pois tinha de algum modo, um pouco de David perto dela.

5 comentários:

  1. Tomara que a Rebeca descubra que é a Pâmela!
    Adorei o capitulo!:)
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Adoreei o Blog!
    Seguindo :)
    Beijos de chocolate :3

    http://forevermoderngirls.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. To curtindo muito essa historia continue postando...
    bjs

    ResponderExcluir
  5. To muito ansioso pra ve o proxima!
    posta logo!!! :)
    beijos

    ResponderExcluir