sexta-feira, 3 de janeiro de 2014


Capitulo 67

Pedro levantou-se calmamente do chão. Queria revidar o golpe, mas achou melhor não fazer isso, pois Rebeca estava ali.
- Você enlouqueceu? – gritou Rebeca encarando David com raiva.
- Eu vi ele te tocando Rebeca! – David falou com raiva sem medir as palavras.
- Não estava acontecendo nada! – ela afirmou firme. Aproximou-se bruscamente dele – mas quem é você pra querer tirar satisfações? Não há mais nada entre a gente!
- Você já se esqueceu que ele te enganou? – David a indagou furioso.
- Enganou! – consentiu ela –... Mas ele nunca me traiu! – ela olhou-o com mágoa – e você... Você me magoou de todas as formas possíveis!... – uma lágrima ameaçava cair – destruiu tudo o que eu sentia por você!
David sentiu uma enorme dor quando ouviu essas palavras. Sabia que não tinha o direito de exigir nada dela. E mesmo sendo para salvá-la, a tinha magoado muito.
- Rebeca... – ele tentou se aproximar.
- Vá embora! – a voz dela saiu como um sussurro. Tornou-se mais forte – vá embora daqui pra sempre David!
David sentiu o olhar frio de Rebeca. Saiu rapidamente em meio aos olhares atentos. Pamela sorrindo o acompanhou.
Rebeca então se lembrou de Pedro.
- Você esta bem? – ela perguntou preocupada.
- Vou ficar! – ele disse ignorando a dor, estava contente por Rebeca ter rejeitado David.
- Eu preciso ir agora! Obrigada pelo convite! – tentou esboçar um sorriso.
Pedro tentou pedir pra acompanha-la, mas ela hesitou. Precisava ficar sozinha.
Depois, David estava em seu apartamento. Contou tudo o que aconteceu a Sheyla.
- Você ficou maluco? – ela gritou surpresa – você bateu no Pedro?
- Eu não pude me controlar vendo os dois juntos! – David cerrou os pulsos encarando um ponto em específico – não acredito que ela está saindo com ele!
- David você não tem nenhum direito de ter ciúmes! – ela contestou.
- Eu sei... Mas eu não consigo fingir que não me importo! – ele gritou consigo mesmo.
- Lembre que você tem que ficar longe dela se não quiser que a machuquem! – Sheyla aconselhou sentando-se ao lado dele.
- Eu sei... – David cerrou os olhos contritos. Sentia um grande sofrimento, mas tinha que ser forte.
Rebeca jogou-se sobre a cama aflita. Suas lágrimas corriam sobre o rosto. Não queria amá-lo. Não queria. Ele a tinha enganado. Fugiria pra longe e nunca mais voltaria. Como queria arrancá-lo simplesmente de dentro dela.
Acabou adormecendo em meio às lágrimas. Acordou na manhã seguinte, com slash lambendo seu rosto. Olhou para o pequeno filhote latindo para ela. Era uma parte de David que nunca a deixaria. Acariciou o animal com carinho.
De repente seu pai entrou em seu quarto.
- Preciso falar com você Rebeca! – ele disse sério.
- Sim pai... – sentou-se na cama acompanhada por ele.
- Eu quero te contar... Que quando David estava preso... Eu o visitei na cadeia... Fiz um acordo com ele!
- Que espécie de acordo? – ela perguntou surpresa e confusa ao mesmo tempo.
- Ele deveria testemunhar contra o pai dele e eu o tiraria da prisão... – explicou – porém, após ser solto ele não cumpriu com sua palavra... Eu só quis te dizer isso filha, por que eu queria que você soubesse quem ele realmente é! Ele é um mau caráter igual ao pai dele!
- Pai... Eu só quero esquecer isso tudo! – Rebeca respondeu cabisbaixa.
- Eu entendo... E quero que saiba que sempre poderá contar comigo filha!
- Obrigada pai... – Rebeca abraçou-o forte.
Após, Rebeca foi até a escola em que estagiava. Foi conversar com a supervisora.
- Não acredito que vai sair Rebeca – a supervisora falou surpresa.
- Eu sei... Mas é que eu não vou poder mais exercer o cargo aqui!
- As crianças vão sentir muita falta de você – a senhora completou.
- E eu delas! – ela confessou sorrindo. Porém estava triste por dentro, mas não via mais porque estar ali se daqui a um mês estaria fora dos pais.
Após a supervisora sair, Pedro aproximou-se de Rebeca a assustando.
- Então quer dizer que vai sair? – ele a indagou confuso.
- Eu preciso... – ela falou tentando disfarçar.  Preferia não contar sobre a viagem.
- Você já esta melhor depois do que aconteceu ontem? – ele se aproximou preocupado.
- Estou... Eu só quero esquecer o David!
Ao ouvir as palavras de Rebeca, Pedro sorriu por dentro.
- Pode contar comigo! – ele colocou a mão em seu rosto.

4 comentários:

  1. amei o capitulo ainda bem que vc voltou!!!
    Lendo os anteriores... *_*
    bjs

    ResponderExcluir
  2. eu estou adorando os capitulos e muito feliz que tenha voltado!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. to amando sua web flor! Ja é a minha favorita! Parabens pela criatividade*_*
    bjs

    ResponderExcluir