quinta-feira, 16 de janeiro de 2014


Capitulo 78

- Não é da sua conta Pâmela! - Rebeca respondeu rispidamente.
- Venho ver o David, não é? - ela a encarou com um sorriso malicioso no rosto.
O pai de David apareceu de repente, interrompendo a troca fria de olhares entre elas.
- Senhor Sérgio, como o David está? - Pâmela se aproximou dele aparentando falsa aflição.
- Pâmela? - Sérgio não sabia que ela estava no Brasil. Achou melhor não se ater a esse assunto - bem, ele está se recuperando da cirurgia, mas já esta melhor...
- Que ótimo senhor! - Pâmela sorriu - não sabe como fiquei preocupada!
Rebeca não acreditava na falsidade dela.
- Eu precisava ficar aqui para o caso de ele acordar... - Sérgio começou sério.
- Não precisa se preocupar senhor, eu fico com o David!
Rebeca sentiu um pontada ao ouvir isso.
- Seria ótimo, assim evitaria que meu filho tivesse um contragosto ao me ver... - disse com um tom mais baixo - agradeço a você Pâmela... Agora eu tenho que ir... - retirou-se rapidamente.
Pâmela exibiu a face triunfante.
Rebeca ficou aflita. Queria ver David, chegou perto do medico que passava apressado.
- Doutor, posso ver o David?... Nem que seja por pouco tempo...
- Sinto muito senhorita, mas já me informaram que alguém irá ficar no quarto e no estado em que ele esta, só podemos permitir uma pessoa - saiu em direção as salas.
- Ouviu? - Pâmela riu se aproximando dela - você não tem nenhum direito de estar aqui! - olhava-a friamente - você pode até gostar do David... Mas ele não te ama! E sabe que quando ele acordar, não é a você que ele vai chamar... E sim a mim... A NAMORADA dele! - a rodeou - por que não vai embora Rebeca?... Assim se poupa desse papel ridículo!
Pâmela a deixou.
- Nossa! Ela é pior do que você me disse! - Viviane comentou incrédula. Reparou que Rebeca continuava estática - tudo bem?
- Tudo... Vamos embora daqui! - ela falou em um tom duro.
Pâmela entrou no quarto de David. Olhou-o por um tempo. Com certeza esse acidente retardaria tudo o que havia em sua mente.
De repente, viu a boca de David se mexer, falava coisas sem sentido. Até o nome de Rebeca sair de seus lábios.
- Rebeca... - repetiu ela com um efeito vago.
Aproximou-se dele, tocando-lhe a face com tom de falsa compaixão.
No dia seguinte, Rebeca estava em casa quando a empregada avisou que seu pai havia chegado do hospital.
Ela correu pra abraçá-lo.
- Pai... Me desculpa por não ter ficado com você no hospital... - ela desculpou-se culpada. Ajudou-o a sentar no sofá.
-Não tem problema, foi melhor assim... - ele relaxou sobre o móvel com jeito fatigado.
- Por que?
- Os médicos me mostraram o resultado dos exames... Minha situação não está boa... Me disseram que o crescimento do tumor afetou estruturas cerebrais... Terei que ser operado em breve!
- Eu sei que o senhor vai se curar pai! - Rebeca afirmou veemente.
- Filha... Eu quero que esteja preparada...
- Não pai! - ela disse firme - não vai acontecer nada!
O pai de Rebeca apenas desviou o olhar pensativo.
David acordou assustado. Viu Pâmela ao seu lado.
- Até que enfim! - ela aproximou-se da cama aparentando preocupação.
- Pâmela?
- Você se sente bem?
- Sim... - David respondeu sério. Elevou a mão até a atadura em sua fronte.
Seus olhos começaram a ficar profundos. Se lembrava do acidente como se tivesse acontecido a um minuto. Porém, não lembrava de nada que havia passado no hospital.
Sheyla chegou abrindo a porta.
- Nem acredito que está bem mano! - Abraçou-o forte. Ele reclamou de dor - desculpa! - afastou-se sorrindo.
David ficou pensativo por um tempo. Não sabia porque, mas tinha sonhado com Rebeca. Os olhos dela o encarando, as mãos apertadas as dele, chorava aflita.
- A Rebeca soube? - perguntou intrigado.
- Não! - Pâmela respondeu, interrompendo Sheyla que iria falar - bem, ela deve estar ocupada com o Pedro, não é? - sorriu.
David tentou não demonstrar a dor que sentiu ao saber que Rebeca não se importava com ele.
- É melhor assim... - apenas disse.
Sheyla olhava Pâmela friamente. Não podia acreditar que ela enganasse David desse jeito, porém,  não podia falar nada pois ela tinha um segredo seu em suas mãos.
O medico entrou.
- Doutor... - David enquietou-se - quando vou poder sair daqui?
- Acalme-se por favor - ele pediu - teremos que checar sua situação, mas provavelmente amanha poderá sair!
Após algum tempo, Pâmela havia saído, Sheyla ficou com David.
- E agora? - ela o encarou seria - o que vai fazer? Não pensa em fugir assim, não é? - afligiu-se.
- Não se preocupe... Não vou mais fugir! - afirmou firmemente.

4 comentários:

  1. Que odio dessa Pamela!!! Que bom que o David nao vai mais fugir!
    to amando...
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Adorei o cap flor! Ta otima a historia!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. To amando a web! Ja é a minha favorita!
    Até favoritei aqui pra acompanhar...
    beijao

    ResponderExcluir
  4. To louca pelo proximo capitulo!!!
    Estou amando a historia, parabens flor...

    ResponderExcluir