segunda-feira, 20 de janeiro de 2014


Capitulo 80

Todos continuavam aflitos. Gisele chegou a pedir com um gesto sútil, que a empregada voltasse a olhar para ver o que acontecia lá fora, porém, seu movimento foi detido por Pedro que atravessou a sala de jantar rapidamente. Com uma força brusca, subiu as escadas para seu quarto.
Os olhares se cruzaram entre os que permaneciam a mesa.
- Eu vou falar com a Raquel, com licença! - Viviane se desculpou indo em direção a saída.
- Ótimo jantar! - Nicole sorriu indo atrás de Viviane - convidem mais vezes...
Raquel ainda continuava lá fora, estava sem chão. Não acreditava no que acabara de fazer. Mas com certeza tinha sido melhor assim, pois sentiu que por um triz, tinha confessado o que sentia por ele.
- Raquel o que foi? - Viviane chegou esbaforida.
- Voces terminaram? - Nicole se aproximou a encarando.
Raquel, de repente sentiu um excesso de raiva ao ouvir aquelas palavras.
- Não, não terminamos... Por que nunca ouve nada entre a gente! - vociferou furiosa - entenderam? - saiu rapidamente em passos largos.
No dia seguinte, no hospital, Sheyla entrou no quarto de David. Ele reparou que ela estava pálida. Trazia um jornal em sua mão.
- David, você tem que ver isso! - exclamou séria.
Ao olhar o jornal, leu espantado a manchete que dizia que seu pai tinha acusado Bruno.
- Aposto que ele fez isso quando soube que ele tinha causado seu acidente! - ela exclamou, porém, David permanecia calado. Sentou-se ao seu lado - eu não te disse isso antes, mas... Seu pai veio te ver no hospital, foi ele quem pagou o tratamento...Parecia desesperado!
- Só deve estar querendo ficar bem perante o tribunal! - afirmou firmemente - tudo que ele faz tem uma razão!
- Não sei não mano, ele parecia realmente aflito!
- Não importa! - ele se levantou como um salto -...não quero falar mais nisso!
Rebeca estava em seu quarto. Pensava em tudo que tinha acontecido nos últimos dias, seus pensamentos revolviam-se dentro de si. O jeito como ficou ao ver David no hospital, sentiu o sangue ferver, uma pontada em seu coração, como se, se ele morresse morreria uma parte dela. Mas as palavras dele continuavam a martelar em sua mente. "Eu não sinto nada por você". O que Pâmela havia dito tinha feito ela se sentir pior. "O David não te ama. E sabe que quando ele acordar, não é a você que vai chamar e sim a mim!".
Não queria aceitar mas ele não sentia nada por ela, tinha que esquece-lo de uma vez por todas. Raquel entrou interrompendo seus pensamentos.
- Oi Rebeca! - ela se aproximou sentando-se na cama - eu vim porque não deu pra gente conversar muito quando te visitei no hospital, seu pai está melhor?
- Está, graças a Deus! - Rebeca exibiu um sorriso sem alegria - mas não foi o que pior aconteceu... O David sofreu um acidente!
- O que? - Raquel elevou as mãos a boca assustada.
- Por sorte deu tudo certo... Mas... - ela abaixou a face - quando eu o vi todo machucado, parecia que iria morrer naquele momento, eu fiquei desesperada... - uma lágrima caiu sobre a cama.
- Você o ama mesmo, não é? - sua amiga falou em tom de surpresa e pena.
Raquel decidiu então, que não falaria sobre o que tinha acontecido, não queria aumentar a dor de sua amiga. Sentiu que apesar de tudo, se Pedro gostava de Rebeca, ele poderia ser a chance dela esquecer David e ser feliz.
- Mas... - Rebeca continuou - eu queria falar sobre o beijo com o Pedro naquele festa... - explicou-se tímida - aquilo não significou nada, eu juro!
- Não precisa se preocupar - sorriu forçadamente - eu não sinto nada pelo Pedro!...Por que não dá uma chance a ele?
- Não... Eu não posso Raquel... - ela baixou os olhos - você sabe que eu amo o David!
- Mas Rebeca você tem que pensar! Depois que ele se recuperar vai ir embora outra vez e te deixar pra sempre!...
Rebeca desviou o olhar, como uma forma de fugir daquele assunto. Não aguentava mais pensar sobre isso.
David foi liberado do hospital. Chegou ao sua casa, com a ajuda de Sheyla. Ainda tinha muitas dores no corpo pelas contusões. Wine o abraçou ao vê-lo voltar. 
- David eu vou comprar alguma coisa pra gente comer! - ela avisou ao ver que não continha nada na geladeira. Wine a acompanhou. 
Após alguns minutos, a porta abriu revelando a face de Pâmela. 
- Fico feliz que já esteja bem! - falou sorrindo - já soube que seu pai denunciou o Bruno?
- Sim... - respondeu sério. Olhava um ponto em especifico fixamente. 
- Agora que sofreu o acidente, o que vai fazer? - ela o indagou intrigada. 
- Decidi que não vou mais fugir! 
David optou por não contar a ela que estava disposto a testemunhar contra seu pai. Não confiava o bastante nela.
Pâmela manteve-se fria diante da noticia, já havia imaginado por conhecer David que o acidente provocaria essa decisão. Avivou o olhar até ele.
- Você já pensou... Em aceitar o acordo do seu pai? - ela disse diretamente. 

5 comentários:

  1. Essa Pâmela não tem jeito!
    Louca pelo próximo, posta logo!
    xoxo

    ResponderExcluir
  2. Eu to amando a web!!!
    Avisa sempre que tive postado que eu vou vir correndo ler!!!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. To amando a web ja favoritei aqui pra poder acompanhar!!!
    Ansiosa pelo proximo...

    ResponderExcluir
  4. a historia ta muito boa, to impressionada com a sua criatividade flor
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Nossa eu deixei de acompanhar pq tava sem tempo, mas a historia ta otima!
    Vou correndo ler os outros...
    beijos

    ResponderExcluir