segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014


Capitulo 89

- Eu sabia que você não ia resistir! – Tomás exibiu uma face vencedora.
- Olha aqui! Nem pense que eu estou afim de você! – exclamou afetada. Acalmou-se – então... Posso contar com você no sábado na lanchonete?
- Claro! Estarei lá! – aproximou-se para beijá-la.
- Nem pense nisso! – afastou-o com os braços.
- Tudo bem... Eu sei que vai acabar implorando pra que eu te beije! – insinuou-se.
Raquel saiu esbaforida. Já começava a se arrepender de sua ideia. Mas não podia deixar que Pedro pensasse que ela gostava dele, e nem que os outros achassem que ela não tinha ninguém.
Sheyla foi até a casa de David. Reparou que ele estava lá. Tocava guitarra com violência nos gestos.
- Não conseguiu dormir, não é? – o indagou.
Ela o conhecia muito bem para saber que não se sentia bem pelo o que tinha acontecido noite passada.
- Não! – falou seco. Retirou a guitarra de sobre si.
- Quer me dizer o que aconteceu?
- Eu quase perdi o controle!... – sentou-se em tom de angústia sobre o sofá – a Rebeca veio aqui, disse que iria me esquecer ao menos que eu a impedisse – pôs as mãos sobre a cabeça apertando forte o cenho – disse que me amava... Eu estava ficando louco... Quase cheguei ao ponto de dizer a verdade a ela!
- E você?
- Falei pra que me esquecer! Que não sentia nada por ela! – cerrou os olhos com dor a lembrar-se do que tinha dito.
Sheyla respirou fundo. Sentou-se ao lado dele para consolá-lo.
- Fez o que era certo! – ela proferiu, sabendo o quanto isso o machucava. Ele se levantou bruscamente – você tem que ficar longe dela! Pode ser muito perigoso!
- Eu sei! – suspirou tomando coragem – mas não vai ser difícil depois do que eu disse! A Rebeca nunca mais vai me perdoar! – completou com convicção.
Rebeca atravessava os corredores do colégio quando sem perceber Viviane veio ao seu encontro.
- Até que enfim Rebeca! Eu estava te procurando por todo o canto, temos que resolver sobre a lanchonete no sábado.
- Está bem! – disse firme.
- O que aconteceu? Parece tão abatida! – indagou-a preocupada – não vai me dizer que foi o David outra vez!
- Sim! Mas... Eu já estou bem! – falou com uma frieza impressionante.
- Tem certeza? – sua amiga a interrogou incrédula.
- Tenho! – sorriu – eu já chorei tudo que podia pelo David, mas acabou! Minhas lágrimas estão secas! – completou firme – vamos? – adiantou-se indo em direção as salas.
Viviane teve a impressão de que Rebeca estava falando sério. Com certeza algo havia mudado dentro dela. Era como se estivesse pronta para esquecê-lo.
Alguns dias se passaram, até que chegou sábado. Rebeca despediu-se rapidamente de seu pai. Seus amigos a esperavam no carro do lado de fora.
Seu pai ao olhar para a janela ficou feliz ao ver que finalmente sua filha estava esquecendo-se de David e seguindo em frente. Havia notado uma mudança nela nos últimos dias, estava mais alegre e entretida em outros assuntos. Notou relutante, que mesmo David estando no Brasil, tinha cumprido sua promessa de se manter longe de Rebeca.
Pâmela estava na lanchonete, quando se surpreendeu ao ver chegar Rebeca e Pedro. Acompanhado por Raquel, Viviane e Lucas. Sentaram-se juntos a mesa. Pâmela sorriu. Essa era a oportunidade perfeita.
Todos já haviam pedido e esperavam por Tomas que ainda não havia chegado. “Aquele irresponsável!”. Pensou Raquel furiosa. Olhou de repente, para Pedro que olhava Rebeca incessantemente. Lembrava-se de ter quisto esse olhar sobre ela varias vezes, mas em vão. Era melhor assim. Se ele nunca soubesse o que sentia por ele, pelo menos ele e Rebeca estariam felizes.
Tomás apareceu finalmente exibindo uma face sorridente para todos. Cumprimentou Lucas. E sentou-se ao lado de Raquel colocando o braço sobre o ombro dela. Não pôde disfarçar, porém, o desconforto ao ver Pedro ali.
- Tomas, posso falar com você a sós? – pediu Raquel levantando-se da mesa.
- Claro amor! – a acompanhou triunfante.
Distanciaram-se de todos que os encaravam curiosos.
- O que estava pensando pra me deixar te esperando como uma idiota? – irritou-se.
- Calma gata, eu só cheguei um pouco atrasado, só isso! – explicou-se – não vai acontecer na próxima, eu prometo!
- O que? Não vai ter próxima vez! Ouviu? – bravejou com raiva.
Olharam para o lado, repararam surpresos os olhares em sua direção.
- Está tudo bem? – Viviane perguntou intrigada.
- Sim... – Raquel sorriu sem jeito – só estávamos conversando, não é... Amor? – dirigiu-se para Tomas.
- Claro! – roubou-lhe um beijo no rosto.
Rebeca, então, percebeu a situação.
- Raquel, vem ao banheiro comigo? – a convidou.
- Só não demorem muito, os pedidos já vão chegar! – avisou Lucas.
Elas foram em direção aos banheiros. Pâmela escondeu-se atrás do cardápio para que elas não a vissem perto do balcão.
Pedro permanecia sério. Viu Tomas sentar novamente, exibia um tom de convencimento.
- David? – disse Pâmela pelo celular – acabei de ver algo que vai te interessar muito! – assegurou-lhe sorrindo abertamente.

4 comentários:

  1. Essa Pamela nao tem jeito, isso vai ser muito bom hehe
    To acompanhando agora mas ja to amando a historia! Voce tem muito talento!
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Muito ansiosa pelos proximos!
    Amando a web!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. A historia ta muito boa msm, continue postando!
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Comecei a acompanhar agora, mas ja estou adorando a historia! Achei muito lindo o romance e a trama esta desenvolvendo muito bem!
    Avisa sempre que tiver post novo, ok?
    bjs

    ResponderExcluir