quarta-feira, 5 de março de 2014


Capitulo 110

Chamou os médicos correndo até a porta. Eles vieram e rapidamente colocaram sr. Paulo sobre a maca.
- O paciente não responde doutor! – informou uma enfermeira olhando os aparelhos.
- Vamos leva-lo pra sala de cirurgia! – o médico decidiu-se. Havia nele certo tom de desesperança.
Rebeca levou às mãos a boca assustada com as palavras deles. Observou eles saírem. Permaneceu estática perto a parede.
Na saída do colégio, Pedro alcançou Raquel.
- Raquel – observou ela virar-se ao chama-la – é verdade que a Rebeca está no hospital?
- Sim, o pai dela passou mal outra vez! – respondeu a outra.
Enquanto isso, David andava de um lado para o outro em seu apartamento. Como queria vê-la naquele momento. Imaginava a dor que deveria estar sentindo. Não conseguia suportar pensar que estava sozinha enfrentando tudo aquilo.
Sentou-se sentindo raiva de sua impotência. Veio-lhe então a mente o dia em que ela desesperada o abraçou. Lágrimas corriam pelo rosto pálido dela. “David... Meu pai!”. Ele cerrou os olhos tentando desviar-se desses pensamentos. Pegando a jaqueta sobre a mesa, saiu decidido.
Passos firmes marcavam seu traço no velho galpão. Carlos observava algo em seu celular encostado a seu luxuoso carro quando percebeu a presença de Bruno.
- Ah até que enfim! – disse Carlos retirando os óculos escuros – por que demorou tanto?
- Tive que desviar de alguns guardas que estavam investigando tráfico de drogas no aeroporto, por isso peguei um navio pra chegar aqui!
- Bem, isso não importa – começou o outro – eu te chamei por que o julgamento está bem próximo e como sabe aquele imbecil do Sergio prometeu me denunciar no testemunho... Preciso que dê um jeito dele se calar!... Mas é importante que tome cuidado pra não ser visto por ai... Se ligarem meu nome ao seu estarei perdido!
- Mas que eu saiba o Sergio não está mais morando aqui... – falou o outro aflito.
- Descubra onde ele esta! – ordenou Carlos – é pra isso mesmo que eu te pago!
- Falando sobre ele... Não acha que devemos tomar cuidado com o filho dele? Que eu saiba ele não morreu no acidente e continua aqui!
 - Aquilo foi só um susto! Ele não vai ter coragem depois do que a gente fez a ele! – sorriu Carlos malicioso – mas... Em todo caso... Fique de olho!
Bruno assentiu então. Saiu sério. Carlos olhando para os lados entrou no carro.
Rebeca não aguentava a angústia de não saber o que estava acontecendo. Novamente aquele medo terrível de perdê-lo a atacava. Como naquele dia que descobrira sobre sua doença. Sentia-se sem chão. Fechou os olhos. Em sua mente, viu David a abraça-la. Dizendo que sempre estaria por perto. Como queria poder ter de volta aquele dom incrível que só ele tinha de fazê-la sorrir quando parecia impossível. Mas aquela promessa tinha sido uma mentira. Como todas as outras que proferiu.
De repente, viu uma presença aproximar-se. Levantou os olhos. Era Pedro. Abraçou-o sem pensar.
- Rebeca... – ele tocou sobre os cabelos dela – por que não me ligou?
- Me desculpa... – ela distanciou-se lentamente – eu só não queria te preocupar!
A verdade, é que estava tentando ao máximo ficar longe dele, já que sabia o que Raquel sentia.
- Como ele está? – perguntou a olhando fixamente.
- Ele foi levado pra cirurgia sem consciência... – antes que terminasse a frase, Pedro a abraçou novamente.
David andava pelos corredores do hospital. Ao chegar à sala de espera, surpreso deparou-se com os dois abraçados. Ficou estático por um instante. Desviou o olhar tentando recompor-se. Saiu rapidamente.
Tinha se esquecido que ela e Pedro estavam juntos. Ela não precisava dele. Torceu os pulsos.
Na sala de cirurgia o médico operava sr. Paulo. A operação era de alto risco. De imediato, o aparelho que media os batimentos emitiu o som que indicava a parada.
Após, David encontrou-se com sheyla em um clube perto dali.
- Eu me senti culpado por tudo o que eu disse pra ela... – ele falava sério – eu fui um idiota! Eu fiquei sabendo que o pai dela esta no hospital, mas quando cheguei lá... – apertou firme o copo – ela estava com o Pedro.
- E o que esperava David? – ela o encarou – mas você é muita cabeça dura mesmo, não é? Não sabe como é perigoso se aproximar da Rebeca, o Carlos pode tentar alguma coisa contra você!...
Pamela chegou atrasada ao clube. Colocou rapidamente o avental de garçonete. Viu, então, David e Sheyla em uma mesa distante.
- Chegou atrasada de novo – a outra garçonete a indagou – desse jeito vai ser demitida!... Vai limpar as mesas do fundo! Eu vou servir aquela mesa ali – apontou pra onde David estava.
- Não! – Pamela apressou-se – deixa que eu levo!
Pegando a bandeja da amiga dirigiu-se aos dois. Porem, chegando perto ouviu algo que a interessou. Escondeu-se a uma parede atrás da mesa deles.
- Principalmente agora que esta perto o julgamento – continuou Sheila sem perceber a presença de Pamela – se ele descobrir que vai testemunhar contra o seu pai, vai estar em perigo! Você viu o que ele fez com você!
Pamela surpreendeu-se grandemente ao ouvir isso.

4 comentários:

  1. Amei o capitulo, to louca pelo proximo!
    continua... Sua web ta muito boa!
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Nossa agora a pamela ja sabe, conseguiu me instigar! Louca pelo poximo!
    to amando a novela!

    ResponderExcluir
  3. Continue postando, to curtindo muito a historia, cheia de emoçoes hein!
    a web ja ta no final? Se tiver coloca no fim do proximo capitulo, ok?
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Amei o capitulo!
    esperando pelo proximo...
    xx

    ResponderExcluir