segunda-feira, 10 de março de 2014


Capitulo 113

Chegou rapidamente diante de todos os olhares.
- David? – Raquel surpreendeu-se acompanhada por todos ali.
Ele, como ignorando a todos, adiantou-se até Rebeca.
- Rebeca o que está fazendo? – a encarou em mistura de surpresa e raiva.
- DAVID! – ela riu alto. Reparava-se o quanto estava inebriada.
- Rebeca você não devia ter bebido desse jeito! – a encarou sério fixando os olhos nela.
- Qual o problema? – riu-se ela. Sua mente girava com o efeito do álcool – não seja careta! - pegou na gola da jaqueta dele – Vamos dançar! – tentou puxá-lo pra pista de dança.
- Rebeca eu to falando sério! Você tem que ir pra casa! – pegou nos braços dela.
- “Qualé” David deixa ela ficar! Ela sabe o que faz! – Alex provocou.
- ALEX! – Nicole repreendeu-o surpresa.
David irou-se no mesmo instante. Foi em direção a ele.
- E você... – David pegou-o pela gola com raiva – não tem vergonha de fazer isso com ela idiota? – afastando-o com força, dando-lhe um forte soco no rosto.
Alex caiu com força sobre o chão.
- Eu avisei! – disse o companheiro de Alex servindo-se de uma bebida.
- Vamos Rebeca! Eu vou te levar pra casa! –  David falou com decisão levando-a pelo braço.
- Ah, não seja um estraga prazeres! – ela puxou-o pra perto ficando perto de seu rosto – eu nunca me diverti tanto! – riu extasiada.
- Já chega! Eu vou te levar agora!
- Me deixa David! – tentou retirar o braço com dificuldade já que estava tudo girando em sua cabeça – eu não quero ir e não pode me obrigar!
David, então, já sem paciência, levantou-a colocando-a sobre o ombro.
- ME SOLTA! – ela gritava batendo as pernas sobre ele -... ME SOLTA!
- Não se preocupa! Eu levo ela! – David disse a Raquel. Ignorando os gritos da outra.
Raquel consentiu sem saber o que dizer em meio a tudo. Nicole aproximou-se de Alex para levantá-lo.
- Você esta bem? – observou a marca enorme em seu rosto.
Ele assentiu tirando a mão dela de seu ombro irritado.
Raquel e os outros decidiram se retirar e deixar os dois sozinhos. Era claro, pensava Raquel, que Nicole escolhia um garoto ao invés de suas amigas.
David colocou Rebeca mesmo contra a sua vontade dentro do carro.
Felizmente ela acabou cedendo ao sono. Ele a olhava a cada instante enquanto dirigia. Era incrível como se tornava bela quando estava frágil. Mas trazia em seus olhos algo de uma ferocidade impressionante. Coitado de quem se enganava com sua aparência de menina delicada, pensou sorrindo. Logo chegou a casa dela.
A empregada levantou-se assustada estranhando estarem batendo a porta a essa hora. Abriu.
- David? – ela assustou-se diante dele com Rebeca reclinada em seus ombros – mas o que aconteceu?
- Ela acabou bebendo um pouco... Mas já adormeceu! – sorriu simpático – eu resolvi trazer ela!
- Tudo bem... Mas não faça barulho pra não acordar sr. Paulo!
David cuidadosamente subiu as escadas. Rebeca pesava muito, pensou surpreso. Retirando-a dos ombros, com delicadeza colocou-a sobre a cama.
Ele agachou-se aos pés dela para tirar seus sapatos. De repente, ela abriu os olhos. Sua mente ainda girava muito. Conseguia ver com dificuldade que não estava mais na festa.
- Por que.... Por que não estamos mais na festa? – falava ainda meio tonta.
- Shiiiiii – ele inclinou-se sobre ela tampando seus lábios com a mão – quer que todo mundo ouça?
- Vamos voltar... Eu estava me divertindo tanto... – enlaçou os braços no pescoço dele – está me devendo uma dança! – sorriu-lhe extasiada.
- Você precisa dormir agora!... – ordenou com seriedade. Sua face descontraiu-se – vai sentir uma ressaca enorme amanhã!
- Você é um chato! – resmungou vencida.
- Eu sei... – ele abaixou o olhar. Estavam muito próximos – você me odeia, não é? – falou de um jeito desconsolado.
Ela franziu a testa o encarando. Como se não entendesse o que dizia.
- Não! – exaltou-se. Repousou as mãos sobre a face dele -... Eu... Eu te amo!... – sorriu de repente – eu nunca consegui te esquecer!
Ele continuava a olhá-la hipnotizado. Aquelas palavras o inebriaram. Deixou-se ser levado por elas. A respiração ficando pesada. Não conseguia afastar-se mesmo sabendo que deveria. Era como se o corpo não obedecesse a sua mente. Reparou sua boca vermelha entreaberta. Foi aproximando-se dela. Reclinando lentamente sobre a cama. Ele ia sendo levado a cada instante, sem pensamento ou razão alguma. As mãos dele encontraram-se em sua cintura. Ela não estremeceu. Apenas olhou-o. Ela parou de repente a um palmo de sua boca. Sua mente girava forte. Desmaiou sobre a cama.
Ele despertou do transe recuperando a consciência. Retirou-se de sobre ela sentindo a culpa.
Quando a empregada veio ao quarto, só havia Rebeca dormindo. Reparou a janela aberta.
Na manhã seguinte, Rebeca abriu os olhos com dificuldade. A cabeça latejava forte. Repousou a mão sobre a testa. Reparou surpresa a desordem do quarto e a cama totalmente revirada.
- Olá “bela adormecida”!  - Suzana chegou com o café da manhã – achei que ia precisar disso!
- Suzana... O que aconteceu? – perguntou assustada.
Lembrava-se muito pouco da noite passada. Veio-lhe a mente então, ter David sobre ela muito perto.
- Eu tive um sonho estranho... David... – falou Rebeca confusa.
- Ah sim!...Você bebeu demais ontem e ele te trouxe pra casa!
- O QUÊ? – ela gritou.
Desesperou-se. O que teria acontecido?

3 comentários:

  1. Nossa amei demais essa cap!
    Continua a web ta muito boa!

    ResponderExcluir
  2. To louca pelo proximo caapitulo, ta muito boa sua web!
    posta mais...
    bjs

    ResponderExcluir
  3. To amando sua historia, continua flor!
    Tava fora essa semana que passou por isso nao tava acompanhando, mas ja voltei com tudo pra correr atras do prejuizo! :)
    beijos fica com Deus!

    ResponderExcluir