segunda-feira, 24 de março de 2014


Capitulo 123

David franziu o cenho em tom de confusão. Não sabia como reagir diante daquilo.
- Não pode ser...
- E eu sei por que pensa assim! Mas foi tudo um engano! Minha mãe de algum jeito pensou que a gente estava junto... Mas eu posso garantir... Que isso nunca aconteceu, a Rebeca nunca te trairia... Ela te amava! – Pedro revelou firme.
David tentou manter os pensamentos em ordem.
- Mas vocês estão juntos! – David falou sem entender.
- Não!... Ela só inventou isso pra poder te esquecer!... Ela ainda te ama! – Pedro desviou olhar, como fugindo dessa verdade.
David não sabia como lidar com aquele sentimento que cresceu.
- Se você sente algo pela Rebeca, pelo menor que seja, deixa ela em paz! Não vê o quanto a fez sofrer até hoje?... Deixa ela seguir em frente de uma vez! – completou Pedro sério.
-... Por que me disse isso? – David perguntou confuso.
- Olha, não tem nada que eu queira mais do que ficar com a Rebeca, mas achei que deveria saber!... Eu pretendo conquistar ela e sei que com o tempo ela vai te esquecer... – Pedro saía quando deteve-se – só pra saber... Quando estava no hospital... Eu nunca desejaria aquilo!
Saiu, deixando David ali, ainda estático. Era claro o quanto tinha sido injusto e cego em acusá-la daquela maneira.
Nicole após falar com Alex sorriu consigo mesma. Tinha conseguido o que queria, com certeza agora ele estaria transtornado com a ideia de Pâmela fugir com aquele dinheiro.
Discou um número no celular novamente.
- Alô? É da polícia?... Eu tenho uma denúncia a fazer...
Depois de desligar o celular, Tomás a examinou intrigado.
- Bem, agora vamos voltar pra festa! – falou ela animada.
- Peraí... Pode me dizer o que tá acontecendo? – ele a indagou.
- No caminho eu te conto tudo! – Nicole adiantou-se até o carro.
Na festa, David pensou em ir embora, seus pensamentos em Rebeca o atordoavam. Observou Pedro voltar e pôs-se a lado dela. Como tinha sido egoísta em acusa-la. De repente, ouviu o celular tocar. Atendeu. Ouviu uma voz o interrompendo.
- Não vamos demorar muito está bem? Eu estou com o seu pai aqui comigo! E estamos te esperando num galpão perto do porto!
-... Carlos? – foi à única coisa que ele pôde dizer em meio a tudo.
- E é melhor não trazer a polícia, senão seu pai irá pagar! – ameaçou sério. Desligou.
David ainda continuava estático. Elevou às mãos a cabeça desesperado.
Rebeca que havia o observado, intrigou-se com a reação dele. Avistou David sair rapidamente em meio a todos, rumo à saída.
Quem poderia ser a pessoa ao telefone? Por que ele sairia assim tão transtornado? Só podia ser Carlos querendo vê-lo. Talvez, para tratarem sobre o julgamento.
Rebeca distanciou-se de seus amigos enquanto o diretor discursava algo no palco.
Ao chegar à frente do colégio, viu David pegar a moto acelerado. Chamou um táxi apressada.
- Siga aquela moto! – ordenou ela entrando no carro.
Após o enorme texto do reitor, Tomás e Nicole aproximaram-se de Raquel.
- E aí? Deu tudo certo? – Raquel olhou Nicole para confirmar – eu vi o Alex sair agora a pouco!
- Claro! Ele mordeu a isca! – riu-se a outra.
- Muito espertas vocês hein! – comentou Tomás. Chegou mais perto de Raquel – a gente pode ir ao jardim por um minuto?
Raquel olhou para os lados encontrando-se com o rosto de Pedro ao longe. Aceitou o convite. Tomás sorriu para Nicole ao sair com Raquel.
Julia veio até Viviane aturdida.
- Cadê a Raquel? – perguntou apressada.
- Eu não sei, acho que foi pro jardim...
- Não se esqueça do plano, está bem? – lembrou Julia.
Viviane assentiu positivamente.
Tomás caminhava ao lado de Raquel.
- Aqui ficou muito bacana! – comentou ele olhando o jardim.
- Obrigada! – agradeceu tímida – Tomás... Eu quero agradecer por ter ajudado a gente com o plano, você tem sido muito legal comigo...
- Eu só queria que soubesse que eu não era aquele cara que você pensava... – abaixou a expressão – eu queria me desculpar... Pelo dia que eu tentei te beijar a força... Eu fui um idiota! – falou, no fundo com verdade.
- Tudo bem!... Não se preocupa, eu já esqueci! – Raquel confessou.
- Eu também gostaria que soubesse que quando estiver pronta pra esquecer o Pedro de uma vez, eu vou estar aqui! – disse compreensivo.
Ela olhou-o. Não sentia nada por ele comparado a Pedro, mas ele tinha provado ser mais do que o babaca que pensava. Talvez pudesse dar uma chance de tentar.
Aproximou-se do rosto dele. A boca foi chegando perto.
- Raquel! – Viviane chegou a chamando. Viu a outra assustar-se – desculpe interromper, mas... Eu preciso que veja o que aconteceu na sala de materiais!
“Droga”. Pensou Tomás irritado.
Raquel acompanhou Viviane confusa, no fundo sentiu um alívio por ter sido interrompida.
Enquanto isso, na festa, Julia veio até Pedro.
- Julia, você viu a Rebeca? – perguntou preocupado. Fazia tempo que não a via.
- Ah sim!... Acho que eu a vi na... Sala de materiais! – disfarçou.
Observou Pedro sair apressado. Não sabia no que isso daria, no entanto, tinha que tentar.
Raquel entrou na sala de materiais.
 - O que tem de errado Vivi? – ela indagou Viviane que estava do lado de fora.
- Me desculpa amiga, mas é pro seu próprio bem! – falou fechando a porta com a chave.
- O que? – Raquel virou-se assustada. Viu a porta trancada – Vivi! Me tira daqui!
Pedro aproximou-se de Viviane.
- A Julia disse que a Rebeca estava aqui! – falou sem entender.
- Ah!... Claro! Ela está lá dentro! – abriu a porta. Quando ele entrou, logo fechou a porta atrás dele.
Pedro percebeu que a sala estava escura. De repente, esbarrou em alguém, caindo sobre ela.

4 comentários:

  1. Nossa amei esse final, que suspense hein!
    amando essa nova fase da novela
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Nossa esse final me deixou muito ansiosa pelo proximo!
    to amando acompanhar essa historia, me deixou muito intrigada!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Quero o proximo pra ontem!!!
    Quero ve agora o que vai aocntecer! :)

    ResponderExcluir
  4. A historia ta oitma, to amando as intrigas dos personagend, parabens pela escrita!
    bjs

    ResponderExcluir