segunda-feira, 31 de março de 2014


Capitulo 128

Todo o colégio estava comemorando em uma praia perto dali.
Tomás tentava acompanhar os passos rápidos de Nicole que já estava inebriada pela bebida.
- Vamos dar um mergulho! - ela propôs rindo alto. Puxou-o rumo a água.
- Não! Acho melhor você não entrar na água... Pode ser perigoso!
- Deixa de ser chato! - ela afastou-se dele correndo até a água, mergulhou com força.
O médico pôs-se a frente de David que levantou o olhar para ele.
- Tenho notícias sobre seu pai! - avisou ele. Observou David ficar alarmado - felizmente os dois tiros não atingiram nenhum órgão vital e foram retirados com a cirurgia!
David curvou-se com as mãos sobre o joelho, aliviado.
- Pode ir vê-lo! - afirmou o doutor.
Rebeca e Sr. Paulo chegaram a casa e logo foram recebidos por Suzana.
- Que bom que está bem senhorita! - a empregada alegrou-se - não sabe a preocupação que nós tivemos quando recebemos seu telefonema!
- Eu estou bem Suzana! - Rebeca a acalmou.
- Quer alguma coisa?
- Não... Eu vou pro meu quarto mesmo! - Rebeca avisou.
Ao chegar ao quarto, deitou calmamente. Pedia que estivesse tudo bem com senhor Sérgio. Não tinha tido tempo de raciocinar. Tinha pensado o pior de David. Como havia o julgado mal, e ele arriscara sua vida para salvá-la.
Entregou-se ao sono lentamente.
Tomás percebeu assustado que fazia bastante tempo que Nicole havia entrado na água. Retirando a camisa mergulhou rapidamente. Felizmente a alcançou. Retirou-a da água a levando no colo até a areia. Ela tossia muito. Mas parecia estar bem.
- Está maluca? - ele a encarou.
- Eu só queria me divertir um pouco! - ela contestou sem parar de rir.
- Não precisa fazer isso pra se divertir! - ele brigou. Soltou-a de seus braços a jogando na areia - você é tão irresponsável!
- Olha quem fala! Antes você fazia tudo pra se divertir, não se importava com o que pensavam!
- É, mas eu mudei! - exclamou com raiva. Sentou-se ao lado dela. De repente mudou a expressão - ...Mudei pela Raquel!... E pra quê? - falou irritado consigo mesmo.
- Eu disse que ela nunca ia gostar de você!... Por que coloca seus objetivos sempre em algo impossível? - ela o encarou com indignação.
- Não sei... - ele direcionou o olhar perdido para o mar.
Ela o examinou por um instante.
- Talvez... Por que seja um modo de fugir do que está a sua volta, não é? - comentou ela em um tom sério.
Tomás logo a olhou. Sentia em suas palavras a verdade.
- Mas quem sou eu pra dizer alguma coisa? - continuou ela atirando algo no mar - nunca dei chance pra ninguém, e agora estou aqui sozinha!... Eu dizia que era porque ninguém me merecia... Mas acho que era por que pensava que quando me conhecessem melhor... Não veriam mais nada!
Ele reparou nela uma expressão de tristeza que estranhamente pareceu iluminar seu rosto.
- ... Eu vejo! - ele exclamou com um olhar simpático.
Nicole devolveu o olhar surpresa. Sorriu.
- Sabe... Acho que a Raquel apenas revelou o Tomás de verdade! Por trás daquela máscara de pegador babaca! - ela riu-se. Encostou de leve no ombro dele.
 Nicole sentiu a cabeça girar de repente. Teve um movimento de tontura, caindo de leve perto do rosto dele. Olharam-se por um instante. O silêncio reinou entre eles. Tomás, não pode deixar de notar quão desejoso era o desenho dos lábios dela. Aproximou-se de seu rosto como por instinto. Ela então, avançou até a boca dele. Beijou-lhe, devorando-lhe os lábios sem recusa. Encontrando assim, um sentimento inesperado, porem, já existente.
David caminhou rumo a sala onde estava seu pai.
- Eu... Posso entrar? - perguntou deixando a porta entreaberta.
Senhor Sérgio ao vê-lo mostrou os olhos surpresos. Com um gesto leve de cabeça respondeu positivamente.
David andou lentamente até chegar perto da cama. Resolveu permanecer em pé.
- O... Médico disse que vai ficar bem... - pousou o olhar sobre a cama - nenhum... orgão foi atingido - desviava o olhar sem encará-lo. As mãos frias fechadas.
Observou a mão de seu pai ainda trêmula apontar para poltrona ao lado.
David aproximou-se ainda incerto e sentou-se.
Tentou evitar o olhar de seu pai que fixava-o. Viu sua boca abrir-se com dificuldade, tentava dizer algo mas não conseguia.
A mão estendeu-se novamente em direção a ele.
David olhou-a enfim. Sentiu-se estremecer. O corpo ficando inquieto. De repente, o choro não pôde mais ser evitado. Agarrou-lhe as mãos, encurvando-se sobre elas.
- Me perdoa pai... - falava em meio ao choro.
Seu pai fechou os olhos que escondiam profundas lágrimas. Pousou a mão sobre o filho que curvava-se sobre ele.
- Eu não vou mais testemunhar contra você... Eu não vou! - David determinou.
O corpo do pai agitou-se. A voz saiu rouca:
- Não... Não faça isso...
- Mas... Eu não posso! - David hesitou.
- Sei... Sei que pode! - uma enorme tosse o atacou. Colocou a mão sobre o peito. Apertou as mãos que seguravam-no - você é melhor que eu... Vai fazer a coisa certa.
Apesar do medo que sentia, Sérgio sabia que era o único jeito de merecer o amor do filho e pela primeira vez ser um pai pra ele.
David acenou ao pedido do pai ainda emocionado.
- Tá, descansa agora, você precisa descansar.
O pai sorriu por um instante e fechou os olhos.
No dia seguinte, Pâmela voltava a seu apartamento, quando avistou em um jornal na porta com o letreiro " O empresário Carlos acusado de desfalque, é preso nesta sexta-feira".
"Droga!". Pensou com raiva.

3 comentários:

  1. Amando a nova fase da novela, pena que ja ta acabando :(
    continua...
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Bem feito pra essa pamela, recebeu o que mereceu!
    to adorando acompanhar a historia!
    beijos...*_*

    ResponderExcluir
  3. To louca para eles ficarem juntos logo!
    qurendo a continuação...bjs

    ResponderExcluir