terça-feira, 15 de abril de 2014



Oiii, mal a web acabou e eu ja sinto saudade, eu queria agradecer a todas que acompanharam a web, pelo o apoio, sugestões, criticas e os elogios que me ajudaram bastante a escrever a historia. Também quero agradecer aquelas que não comentaram, mesmo assim sua visita foi muito importante pra mim!
 Eu nunca havia planejado escrever uma web novela, na verdade, a pouco de uns meses eu nem sabia o que era isso. Pra quem não sabe, no começo, the reason era apenas uma historia em quadrinhos que eu escrevia a muito tempo, mas nunca conseguia terminar, então eu resolvi colocá-la na internet, mesmo sem experiência. Então obrigada a todas vocês que me fizeram me sentir uma "escritora" por um tempo.
Eu não planejo escrever uma outra novela por falta de tempo e de inspiração mesmo. Mas quando eu tiver uma boa ideia com certeza eu volto a fazer outra.
Só queria deixar o pedido a todas vocês que acompanharam e até mesmo as que não comentaram, que comentem aqui o que mais gostaram na web e o que acharam da historia, pra que quem sabe no futuro eu possa voltar aqui e ler todos os comentários e me animar a fazer outra!
Bom, mais uma vez obrigado! Beijos!

sexta-feira, 11 de abril de 2014


Último capítulo

David virou-se surpreso. Encarou Rebeca descendo rumo a sua presença. O rosto cheio de lágrimas.
Correu para alcançá-lo. Abraçaram-se com força.
- Eu... Achei que tinha ido... - falou ele a fixando. Ainda ofegante.
- Eu também achei... Mas eu não pude! - ela respondeu emocionada - eu não pude...
David avançou sobre a boca dela a apertando para si.
Ele, apartando-se de sua boca, elevou as mãos a seu rosto.
- Rebeca me perdoa... - pediu aflito - por tudo que eu fiz, eu...
- Eu sei! - Rebeca o interrompeu sorrindo - Sheyla me contou!
- Eu nunca mais! Vou deixar você ir outra vez! - ele determinou em tom sério.
- Mas... E o seu show? - Rebeca o encarou confusa.
- Não importa! Nada mais importa! - falou a olhando firme - Rebeca... Eu... Eu amo você!
Ela o olhou estática no mesmo momento.
- E agora eu tenho certeza! - ele continuou - acho que eu sempre soube... Mas...
- Eu também! - ela o interrompeu, beijou-o feliz.
Os dois observaram, então, que as pessoas os olhavam atentas. Rebeca envergonhou-se sem jeito.
- Vem! - David exclamou estendendo a mão - vamos dar o fora daqui!
Foram rápidos em direção a moto dele. Ele lhe entregou o capacete.
- Então... Aonde quer ir? - perguntou a olhando.
- Ao show!
- Tem certeza? - ele a encarou sem entender.
- Claro! Eu não perderia por nada! - ela piscou para ele colocando o capacete.
No estádio, a multidão de pessoas reclamava com a demora do show.
Sheyla estava com Wine e Ricardo nos bastidores quando avistou David e Rebeca chegarem correndo.
- Oi Rebeca! - Sheyla a cumprimentou simpática.
- Oi Sheyla - Rebeca respondeu abraçada a David.
- Eles já chegaram? - David perguntou referindo-se a banda famosa.
De repente, o diretor apareceu. Olhando todos ali irou-se.
- O que pensam que fazem aqui? Eu já disse que estão fora!
O funcionário aproximou-se:
- Diretor, a banda foo fighters teve um atraso no voo e só vão chegar em meia hora, precisamos colocar uma banda no palco agora!
Sheyla, David e Rebeca entreolharam-se no mesmo instante.
- Mas, e aquela banda que ficou em segundo lugar? Já os contatou?- o diretor perguntou nervoso ao funcionário.
- Eu tentei encontra-los senhor, mas parece que eles foram presos semana passada!
- Muito bem! - disse enfim olhando David com um olhar vencido - acham que podem fazer?
- Claro! - David respondeu animado.
Pegando a guitarra despediu-se de Rebeca indo em direção ao palco. A plateia logo observou a banda de David entrar, e logo o mesmo pegar o microfone.
- É o David! - Nicole disse a Tomás no meio da multidão.
- É! Eu sei que nós não somos o foo fighters! - ele riu acompanhado pela plateia - mas eles já vão estar aí!...É... Eu fiz uma musica e eu gostaria que ouvissem... O nome dela é "a razão"! - anunciou pegando sobre a guitarra.
Logo a musica começou a tocar.
- The reason -
I'm not a perfect person
There's many things I wish I didn't do
But I continue learning
I never meant to do those things to you
And so, I have to say before I go
That I just want you to know

I've found out a reason for me
To change who I used to be
A reason to start over new
And the reason is you

I'm sorry that I hurt you
It's something I must live with everyday
And all the pain I put you through
I wish that I could take it all away
And be the one who catches all your tears
That's why I need you to hear

I've found out a reason for me
To change who I used to be
A reason to start over new
And the reason is you
And the reason is you
And the reason is you
And the reason is you

I'm not a perfect person
I never meant to do those things to you
And so I have to say before I go
That I just want you to know

I've found out a reason for me
To change who I used to be
A reason to start over new
And the reason is you

I've found out a reason to show
A side of me you didn't know
A reason for all that I do
And the reason is you

A Razão
Eu não sou uma pessoa perfeita
Há muitas coisas que eu gostaria de não ter feito
Mas eu continuo aprendendo
Eu nunca quis fazer aquelas coisas com você
E então eu tenho que dizer antes de ir
Que eu apenas quero que você saiba

Eu encontrei uma razão para mim
Para mudar quem eu costumava ser
Uma razão para começar de novo
E a razão é você

Eu sinto muito ter te magoado
É algo com que devo conviver todos os dias
E toda a dor que eu te fiz passar
Eu gostaria de poder retirá-la completamente
E ser aquele que apanha todas as suas lágrimas
É por isso que eu preciso que você escute

Eu encontrei uma razão para mim
Para mudar quem eu costumava ser
Uma razão para começar de novo
E a razão é você
E a razão é você
E a razão é você
E a razão é você

Eu não sou uma pessoa perfeita
Eu nunca quis fazer aquelas coisas com você
E então eu tenho que dizer antes de ir
Que eu apenas quero que você saiba

Eu encontrei uma razão para mim
Para mudar quem eu costumava ser
Uma razão para começar de novo
E a razão é você

Eu encontrei uma razão para mostrar
Um lado meu que você não conhecia
Uma razão para tudo que faço
E a razão é você
Rebeca ouviu a tudo emocionada.
De repente, Nicole e Tomas observaram Raquel e Pedro aproximaram-se. Viram que estavam de mãos de dadas.
Tomas e Pedro olharam-se em tom sério.
- Parabéns! - disse Tomás a Pedro em tom amigável. Pedro respondeu com um cumprimento simpático.
Nicole piscou para Raquel sutilmente, que respondeu sorrindo envergonhada. Logo, Viviane e Lucas e Júlia e Henrique chegaram entre as pessoas.
A multidão toda ovacionou a música de David. Principalmente Ricardo.
- Antes de a gente começar, eu só queria chamar ao palco alguém muito importante! - anunciou David ao publico - a garota que me fez escrever essa música!.. Rebeca!
Rebeca levou uma choque enorme.
- Não acredito! A Rebeca está aqui! - Raquel exclamou contente.
Viviane apenas sorria com a surpresa de todos.
Rebeca mesmo enrubescida foi convencida pelos funcionários e a multidão a ir ao palco.
David aproximou-se dela.
- O que está fazendo? - ela sussurrou para ele confusa.
- Rebeca... - falou ele pegando nas mãos dela - eu quero dizer hoje na frente de todo mundo... Que você é a garota mais linda, teimosa - um sorriso descontraído apareceu em seu rosto - e maravilhosa que eu já conheci! - ela sorriu sem saber como reagir - e... Eu resolvi pagar esse mico aqui hoje... Pra pedir que seja minha namorada!
Ela o olhou surpresa. Ele, pegando um anel da jaqueta colocou-o no dedo dela.
- Quer ser minha... Pra sempre?
- ... Quero! - ela arfou sentindo a emoção a flor da pele.
Ele pegando-a a beijou. A multidão comemorou alvoroçada. Principalmente seus amigos.
Ricardo aproximando-se de Sheyla avisou:
- Com certeza, vocês farão sucesso!
Mal sabiam que Ricardo seria o empresário da banda  e o responsável pelo sucesso mundial. Pedro tornaria-se o novo baterista da banda, e um dos melhores amigos de David. Pâmela acabaria sendo presa pela denuncia de participação no crime como cúmplice juntamente com Carlos, que iria ser condenado a vinte e três anos de prisão.
Rebeca olhou para aquela enorme multidão extasiada, sabendo que daqui para frente aquela seria sua vida.
De repente, percebeu ter encontrado sua razão. Olhou para David. Só não pensava que estaria ao seu lado o tempo todo, pensou sorrindo.
 Fim

quinta-feira, 10 de abril de 2014


Penúltimo capitulo

O carro de Rebeca estacionou na frente do aeroporto. Seu voo logo sairia.
Enquanto isso, David acelerava em sua moto. Pegou o celular.
- Viviane, preciso saber onde é o aeroporto! - pediu com aflição.
Após ela ter dito, percebeu com lastima, ser muito longe de onde estava.
Avançou com mais velocidade.
No estádio, Pâmela furiosa viu seu plano cair a sua frente.
- Vamos Ricardo! - ela afirmou com raiva ao empresário.
- Eu vou ficar Pâmela! Eu quero ver o show!
- O que? Não ouviu o que ele disse? Não vai ter show! - ela alterou-se.
- Olha, se quiser pode ir, eu ja disse que eu vou ficar! - Ricardo hesitou sem se importar.
- Como quiser... - ela o examinou de cima a baixa com frieza. Saiu firme.
- PÂMELA! - Sheyla chamou-a.
Pâmela virou-se aproximando-se. Sheyla, então, acertou-a na face com um forte golpe.
- Isso... É por ter denunciado o David!... Vai embora antes que eu chame os seguranças!
Pâmela a olhou com raiva ainda com as mãos a face. Sentiu o sangue ferver. Saiu mesmo contrariada.
- Muito bem gata! - disse Wine chegando perto de Sheyla que sorria.
Rebeca esperava na fila de embarque.
- Atenção! Os passageiros com destino a Estraburgo, França! - falou a atendente.
Rebeca, então, saiu em direção ao local de embarque.
 Sheyla esperava David ansiosa. De repente, o funcionário veio até ela.
- Cadê o David? É hora de entrar!
- Me desculpe, mas ele não vai poder estar aqui! - explicou ela.
- O QUÊ? - o homem a encarou incrédulo. Chamou o diretor do evento.
O diretor logo veio em direção a Sheyla.
- O que pensam que estão fazendo? Eu dei a vocês uma chance!... Tenho que ter uma banda lá em cima! - irritou-se.
- Me desculpa, mas não há nada que eu possa fazer! - ela afirmou relutante.
- Estão fora! OUVIRAM? - gritou ele.
David chegou ao aeroporto correndo. Foi até o guichê.
- Quando sai o próximo voo pra França? - perguntou esbaforido.
- Ele já saiu senhor! A mais ou menos uns vinte minutos, destino a Estraburgo! - informou a atendente.
"Não!". Pensou ele desolado. Havia a perdido pra sempre.
Pâmela saia do estádio, quando deu de encontro com o delegado.
- Olá senhorita! Posso te fazer algumas perguntas?
- Como?...
- Recebi uma denuncia contra você, de que estava mantendo relações com o milionário Carlos Sanchez, me informaram que ele lhe ofereceu dinheiro! Foi em troca de silêncio por acaso? - a encarou insinuativo.
- Perai como conseguiu me encontrar? Está me seguindo? - ela perguntou intrigada.
- Seu amigo... Ricardo, me avisou que estaria aqui! Nós explicamos o caso para ele e ele concedeu em nos ajudar!
Ela não pôde segurar a surpresa.
- Olha aqui! Eu não vou responder nada! - Pâmela respondeu irritada.
- Tem razão! Você vai responder na delegacia! - ele determinou.
David já saia do aeroporto quando ouviu o anúncio.
- Caros passageiros, o atraso de vinte minutos no voo para Estraburgo, França, foi solucionado! Queiram comparecer a sala de embarque por favor!
Olhando para o segundo andar, então, ele pôde ver Rebeca indo rumo ao lugar anunciado. Seguiu-a rapidamente, passando por pessoas atrapalhadas com malas.
- Rebeca! - gritou, porém ela não pareceu ouvir.
Desviou para chegar ao outro lado. Localizou Rebeca a ponto de entrar na sala.
- Rebeca! - gritou mais uma vez.
Ela, ao ouvir virou-se. Surpresa, observou David lá embaixo entre a confusão de passageiros.
- Não! - ela sussurrou consigo mesma como saindo de um transe. Retornou a posição para adentrar o local.
David avistou ela indo em direção a sala. Vendo ser sua única chance, aproximou-se correndo.
- Eu não sou uma pessoa perfeita! - exclamou em alta voz. O som ecoou sobre o lugar. Rebeca estremeceu ao ouvir -... Tem muitas coisas que eu gostaria de não ter feito... Me desculpe se eu te feri... - falou ofegante - agora eu só queria ser quem enxuga suas lágrimas... Mas eu tenho que dizer antes de ir!
Rebeca desviou o olhar. A mulher esperava por seu passaporte.
- Eu encontrei uma razão pra mim!
Ela parou no mesmo instante. Estática.
- Uma razão... Pra mudar quem eu sou... Uma razão pra tudo que eu fiz... - ele a olhava fixamente. Ambas as respirações ficando pesadas - Uma razão... pra lutar, pra morrer, pra amar... E a razão é você!
Ela fechou os olhos tentando segurar as lágrimas. Levantou o olhar trêmula. Caminhou, dando o passaporte a moça.
David olhava constantemente no meio daquela multidão de pessoas. Percebeu, então, o portão de embarque fechar-se. Ainda sem reação, levou as mãos a boca. Foi em direção a saída.
- David!

quarta-feira, 9 de abril de 2014


Capitulo 134

Nicole foi até o parque. Avistou Tomás vindo em sua direção.
- E então... Pensou sobre o que eu te disse? - perguntou ele se aproximando.
- É sobre isso mesmo que eu quero falar com você! - ela anunciou parecendo séria.
Ele a olhou intrigado.
- Eu fui ver a Rebeca hoje! - ela tomou o passo caminhando devagar - A gente foi se despedir... E eu vi uma tristeza tão grande nos olhos dela...
- Acha que é pelo David?
- Acho que sim... Ela o ama mas vai embora pra França! - Nicole exclamou com tristeza - foi aí que eu tomei a minha decisão... - parou de repente - Eu não quero olhar pra trás e me arrepender de não ter tentado! De não ter dado uma oportunidade de ser feliz!
- Então quer dizer... - ele sorriu.
- Sim! Eu... Aceito ser sua namorada!
Ela sorriu de volta emocionada. Tomas, então, beijou-a.
- Eu tenho uma coisa! - ele mostrou dois bilhetes para o show de David.
Pedro ainda tentava assimilar o choque.
- O que?... A Rebeca fora do país?
- Ela já planejava isso a alguns meses... Ela não disse nada pra não preocupar ninguém! A gente se despediu hoje!
- Ela nem me contou! - ele disse consigo mesmo confuso.
- Ela não quis que sofresse!... Mas... - ela adiantou-se até ele - eu vim aqui por que acho que tem o dever de saber!... Talvez assim - ela abaixou a face. Levantou-a fria - possa ir atrás dela e fazê-la mudar de ideia! Eu sei que a ama e não queria que perdesse essa chance!
- Temos que impedi-la! Ela não pode fazer isso! - ele ia até a porta.
- Tudo bem... Eu estou indo, eu só tinha vindo avisar! - Raquel caminhou decidida.
Pedro parou por um momento vendo o rosto dela mostrar mágoa.
- Não! Espera! - exclamou ele pegando em sua mão.
Ela retornou o olhar surpresa.
- Fica! - completou sério.
Faltavam vinte minutos para o show. Sheyla pegando o braço de David, o afastou de Pâmela e Ricardo.
- Não está acreditando nela, está? - sussurrou repreensiva.
- Não, mas a verdade é que a gente não tem nenhuma prova contra ela! - defendeu.
De repente, ele sentiu seu celular tocar. Atendeu.
- Viviane? - respondeu ao telefone surpreso.
- Olha... Eu só liguei pra dizer que a Rebeca está indo pra França hoje!
- O QUÊ? - ele alterou-se.
- Se você sente algo pela Rebeca, tem que impedí-la! - falou com certa ordenança na voz. Desligou.
- David o que foi? - Sheyla o encarou sem entender sua reação.
- A Rebeca vai sair do país hoje!... Ela nunca tinha me dito!... Eu tenho que ir atrás dela - decidiu-se.
- Dez minutos pro show! - avisou um funcionário.
 David lançou um olhar para Sheyla.
- Vai lá David!... Você não pode deixar ela ir!
David, então, saiu rapidamente. Porém, deu de encontro com Pâmela.
- David aonde você vai?
Raquel levantou o olhar trêmula para Pedro que segurava sua mão a fixá-la.
- Por favor não vai! - pediu ele com certa aflição na voz.
- Eu não entendo...
- Eu... - obteve uma pequena pausa - pensei muito desde do que aconteceu... Eu sempre dei valor pras coisas depois de perder... E eu demorei muito pra perceber o quanto você era importante pra mim... Eu não quero ter que te perder também! - aproximou-se.
- Pedro... - ela o olhou tentando entender.
- Você é a melhor garota que eu já conheci! - a interrompeu - e me desculpa por ter sido idiota o bastante pra não ver isso...
Ela continuava sem palavras.
- Eu me prendi a imagem da Rebeca por muito tempo, mas eu pensei muito e percebi que eu só estava com medo de estar sentindo algo por outra pessoa!... Eu sei que nós só estavamos fingindo ser namorados, mas... Eu só queria saber se aceitaria ser minha namorada de verdade? - pegou em sua mão levemente.
- Pedro tem certeza? - o olhou emocionada.
Encostou o rosto proximo do dela a fazendo estremecer. Aproximou-se, então, de seus lábios encostando os seus levemente, sentindo-lhe o gosto com avidez. Logo, avançou sobre sua boca com força. Raquel elevou sua mão instintivamente até o ombro dele entrelaçando-se em seu pescoço. Entregando-se ao que sentia.
- Tenho... - ele sorriu levantando o olhar até ela.
- Te amo! - Raquel arfou antes que ele a beijasse novamente. Distanciou o rosto - Acha que seus pais  vão gostar da noticia?
Os dois riram extasiados.
Pâmela encarou David com repreensão.
- Eu vou atrás da Rebeca, não vou deixar ela ir! - ele tentou retirar-se.
- O que? Voce está se ouvindo? Vai perder a grande chance da sua vida por uma garota mimada?...Fique sabendo que se voce sair por aquela porta eu vou embora e levo o Ricardo comigo! - ameaçou.
David olhou-a fixamente.
- Que seja!
- Não dá pra acreditar! Voce ficou maluco! - ela afirmou surpreendida.
- Eu já a perdi uma vez... Não vou perdê-la de novo! - saiu determinado.

Oiii, estamos na semana dos ultimo capitulos, continuem acompanhando! Quero agradecer a todas que curtiram a fan page! beijos.

Capitulo 133

Rebeca ainda encarava suas amigas com ansiedade.
- Olha, a Raquel... - tentou falar Viviane.
- Oi Rebeca! - Raquel entrou de repente interrompendo Viviane.
Correu abraçar Rebeca.
- Me perdoa... Por ter sido uma péssima amiga... - exclamou arrependida.
- Fico feliz por ter vindo! - Rebeca sorriu emocionada.
Todas correram abraçar-se.
- Vou sentir saudades! - falou Rebeca.
David foi até o presidio um pouco antes do show.
- Preciso falar com o Sergio Martins! - pediu ao guarda.
Depois, Sergio foi levado pelos guardas para a sala de visitas. Encontrou David.
- Filho! - arfou feliz.
Os dois sentaram-se na mesa de frente um para o outro.
- Como andam as coisas? - perguntou David.
- Bem, meu advogado avisou-me que poderia ter uma diminuição da pena por bom comportamento, mas eu recusei! Quero pagar pelo que fiz!
- Está mesmo certo disso? Serão muitos anos.
- Eu sei... Mas não teria minha consciência limpa se me permitissem sair mais cedo! - olhou fixo para o filho - só quero que saiba que o que faço é por você!
- Eu sei pai! - David afirmou firme.
- Bom, soube que hoje é um dia importante pra você! - Sergio sorriu.
- Sim, eu vou fazer meu primeiro show para um estádio com mais de vinte mil pessoas!
- Fico orgulhoso filho! Antes pensava que essa historia era uma idiotice... Mas agora vejo que estava enganado... Espero um dia ver um show seu!
Olharam-se por um instante. Ambos emocionados.
- Sabe... Mesmo com isso tudo... Parece que falta algo... - David disse com o olhar perdido.
- Aquela garota talvez? - seu pai o encarou - filho, eu vi como ela salvou sua vida, como ela se arriscou por você!
David abaixou os olhos.
- Tinha que ter visto como ela te defendeu no hospital! - seu pai continuou com tom admirado.
- Perai, a Rebeca esteve no hospital quando eu estava em coma? - David surpreendeu-se.
- Sim, ela não saiu de seu lado nem por um segundo! Devo dizer, que garota como essa não se acha facilmente! Não a deixe escapar!
David desviou o olhar ainda estático.
Rebeca estava despedindo-se de suas amigas.
- Não sabe como vamos sentir sua falta! - exclamou Julia.
- Eu também! - respondeu Rebeca.
Viviane, então, pediu para conversar com Rebeca. Foram um pouco afastadas das outras.
- Rebeca você tem certeza disso? - fixou-a com firmeza.

- Tenho! - falou com certo tremor na voz.
- Mas e o David? Ele sabe?
- Não... Ele tem um show hoje e eu não quero que ele saiba!
- Rebeca eu acho que você esta cometendo um erro! Você o ama!
- Sim, mas se ele me amasse ele teria vindo atrás e mim, no entanto... - respirou fundo - eu já me decidi! Vai ser melhor assim!
Rebeca, então voltou a sala. Slash veio a seu encontro. Ela o pegou.
- Vou morrer de saudade sabia? - olhou nos olhos do cachorro. Dirigiu-se a suas amigas - prometam que vão cuidar dele, ok?
Elas concordaram. Logo, abraçaram-se novamente. Rebeca pegando a mala, saiu acompanhada em direção ao táxi.
Enquanto isso, David estava no bastidores do show com sua banda. Sua entrada seria em uma hora. Porém, Sheyla percebeu ele calado o tempo todo.
- O que foi? - perguntou preocupada.
- Nada... - ele reanimou o olhar - é só o show - disfarçou.
- Vai dar tudo certo David!
De repente, observaram Pâmela vir até eles.
- E aí David? - sorriu-lhe vindo ao encontro.
- O que faz aqui? Como conseguiu entrar? - ele vociferou irritado.
- Eu fiquei tão angustiada quando soube do que aconteceu David, você podia ter morrido! - ela tentou tocá-lo. Ele desviou-se.
- Por sua causa! Eu já sei que foi você que me denunciou!
Pâmela lançou um olhar surpreso para Sheyla.
- Isso é mentira David! Eu nunca te denunciei! Eu... Disse ao delegado o seu segredo sim, mas era só pra que fosse comigo para Espanha, você sabe que não teria futuro aqui! Eu só fiz isso pensando em você! - Pâmela mentiu habilidosa.
- Claro!... E o que me diz de ter feito um acordo com a banda kings para que eles testemunhassem? - Sheyla a encarou - eu ouvi um boato de que vocês se falavam constantemente!
- Eles me ameaçaram! Tentaram me fazer me calar sobre o plano deles senão iriam contar o que eu disse ao delegado!... Eu só consegui escapar quando eu denunciei eles para policia!
- Ah corta essa Pâmela! - Sheyla desacreditou com raiva.
- Ah é? Pois olha quem eu trouxe! - apontou para porta, quando Ricardo entrou - eu pedi pra que ele desse uma segunda chance para vocês!... Viram? Eu só quero o melhor para a banda!
Ricardo cumprimentou David.
-Nossas primeiras impressões não foram muito boas... Mas li sobre o que aconteceu com o seu pai! Foi muito corajoso! - comentou Ricardo impressionado - vejo que tem caráter!
Pâmela sorriu consigo mesma.
Após, Pedro estava em seu quarto. Ouviu a porta. Ao abrir, percebeu surpreso, o rosto de Raquel.
- Raquel? - a encarou.
- Eu... Vim falar com você! - anunciou ela com um tom sério.
Raquel entrou cautelosa. Ele observava-a atento.
- Se veio aqui pra falar sobre o que aconteceu na festa eu...
- Não! - ela o interrompeu - não é sobre isso!
- Sobre o que é então? - ele a olhou inquieto. Colocou as mãos sobre a bolso.
- Eu... Só vim avisar... Que a Rebeca está saindo do país hoje!


sexta-feira, 4 de abril de 2014


Capitulo 132

- O quê?... Então... - ela nem podia acreditar no que tinha ouvido.
- Ele veio a mim para anunciar que falaria contra o pai!
- Deve ter sido tão difícil pra ele! - Rebeca disse com dor. Queria ter estado com ele.
- Mas o que importa é que foi feita a justiça filha! - ele mudou a expressão - devo dizer... Que finalmente pude perceber a nobreza em David. Devo admitir que foi muito corajoso em entregar o pai! Me desculpe filha, eu estava enganado sobre ele.
- Eu... Sempre soube que havia isso nele, mas até eu acabei enganada! - Rebeca desviou o olhar cabisbaixo.
- Filha... Quer mesmo ir a essa viagem?
- Como?
- Agora que eu estou recuperado e tudo foi resolvido, acho que não precisa ir a França se não quiser! - ele deu o braço a torcer.
Rebeca pensou por um instante.
- Não! Eu pensei bastante... E eu penso que é o melhor pra mim... Não só pelo o que eu vou ter lá, mas para esquecer tudo o que eu passei aqui... Acho que vai ser o melhor pra mim! - sorriu sem vontade.
- Mas ama esse rapaz, não é?
- Sim... E é por isso que o melhor é eu ir... - falou decidida.
Alguns dias passaram. Pâmela estava em seu apartamento quando o síndico a chamou. Atendeu a porta.
- Pegue as suas coisas e suma daqui! - o senhor afirmou furioso.
- O quê? Não pode falar isso! Eu moro aqui! - defendeu-se incrédula.
- Você não me paga a meses!
- Eu sei... Mas é só o tempo de arrumar um emprego!
- Já chega de promessas! - ele a interrompeu com raiva - tenho gente interessada nesse apartamento!
Depois, Pâmela saiu com sua mala para fora do prédio. E agora? O que faria? De repente, viu um folheto sobre o chão. "Hoje show da banda foo fighters com a apresentação da banda vencedora revenge to the death!".
- A banda do David! - ela disse a si mesma. Havia esquecido-se completamente.
- Pâmela? - alguém aproximou-se.
Ela levantou os olhos. Encarou Ricardo, o empresário amigo seu.
- Ricardo! - falou com animação - o que faz aqui?
- Bem, sabe como é! Eu ainda estou a procura de bandas! Mas dessa vez eu montei um estúdio aqui no Brasil, resolvi investir aqui agora! - respondeu simpático. Olhou a mala com estranheza - mas... Você está se mudando?
- É... Claro! Esse lugar não é tão bom quanto a Espanha, não é? Eu estou procurando outro lugar! - dirfarçou - mas... Ficou sabendo do show de hoje? É a banda de que eu tinha te falado! Quem sabe se formos você não muda de ideia!
- Pode ser! - Ricardo concordou.
Pâmela sorriu consigo mesma. A sorte parecia mudar par ela.
Rebeca arrumava as malas no quarto, quando Suzana entrou.
- Rebeca, por que não pediu que eu ajudasse? - perguntou a empregada com indignação.
- Não precisa  Suzana, eu mesma faço, pode deixar! - sorriu.
- Não acredito que está indo embora! - comentou a senhora com tristeza.
- Não fica assim! Eu volto pra visitar vocês!
As duas abraçaram-se emocionadas.
- Ela já está desmanchando pra você Rebeca? - Sr. Paulo apareceu na porta rindo.
- Ora Sr. Paulo! Ela vai ficar três anos fora! - reclamou Suzana choramingando.
Rebeca riu.
Enquanto isso, Viviane veio falar com Raquel em sua casa.
- Posso entrar? - perguntou receosa.
- Claro! - Raquel respondeu sem vontade.
- Eu só queria saber por que não foi a casa da Rebeca aquele dia... Ela precisava de você!
Raquel desviou o olhar desconfortada.
- Na boa Vivi, eu não estou afim de sermões agora! - afirmou ríspida.
- Eu sei que o que aconteceu foi difícil...
- Não... Você não sabe! Não sabe o quanto eu sofri até agora por amar alguém que tá afim da minha melhor amiga! - exclamou com raiva.
 - Sabe que a Rebeca não merece seu egoísmo! Você sabe que ela já deixou claro pro Pedro que não sente nada por ele!
- E O QUE IMPORTA ISSO SE ELE CONTINUA APAIXONADO POR ELA? - a encarou exaltada. Jogou com força o travesseiro sobre a parede. Respirou fundo - olha... Eu... Não me leve a mal... Mas a última coisa que eu quero pensar agora é na Rebeca!
Viviane e ela encararam-se em silêncio.
- Quer saber? Eu já estou atrasada! Eu vou me encontrar com as meninas! Se você não sabe hoje é um dia muito importante, a Rebeca vai sair do pais hoje! - saiu fechando a porta.
Raquel levou um choque no mesmo instante. Havia esquecido-se daquele dia. Olhou para o lado, achando ali um jornal que Viviane havia jogado no chão. Leu surpreendida, a noticia do atentado no galpão. Levou as mãos a boca.
Depois, Rebeca ainda estava com Suzana no quarto. Seu pai, então, apareceu.
- Filha... Suas amigas vieram se despedir de você! - anunciou.
Rebeca rapidamente fechou a mala e trouxe-a para a sala. Lá encontrou Julia, Nicole e Viviane.
- Oi... - cumprimentou todas feliz. De repente sua face mudou  - A Raquel não veio?
Todas se olharam no mesmo momento.

quinta-feira, 3 de abril de 2014


Capitulo 131

Pedro olhava para o celular mais uma vez. Porém, não havia recebido nada.
As palavras de Raquel não saiam de sua mente. Mas não tanto quanto o rosto de Rebeca.
Ouviu sua mãe entrar.
- Filho... Está acordado? - perguntou cautelosa.
- Sim... - respondeu em tom de devaneio.
- Eu só queria saber se está tudo bem, você não foi jantar hoje!
- Eu estou meio cansado, só isso! - exclamou disfarçando.
- É essa garota Rebeca não é?... Você a ama filho?
- Sim... - ele parou por um momento. Os olhos desviaram-se - ...sim...
- Me desculpe filho, por ter pensado que a Raquel fosse sua namorada, é que eu sempre achei vocês perfeitos um pro outro, o jeito que ela te olhava... Bom, mas se você não sente nada por ela, eu vou respeitar sua decisão! - falou em tom maternal - Boa noite! - levantou-se retirando-se.
- Boa noite mãe! - sorriu ele sem vontade. Os olhos baixaram.
Chegou o dia do julgamento. Sr. Paulo estava na sala do tribunal quando observou sair senhor Sérgio. Os dois cumprimentaram-se discretamente de longe. Paulo sabia que seria um julgamento difícil, pois não possuía testemunhas relevantes contra Sérgio.
Quando estava sozinho na sala, então, observou David entrar.
- Ah! Senhor Martins! Veio assistir o julgamento?... É por ali... - avisou rispidamente sem desviar os olhos dos papeis.
- Não senhor... - David aproximou-se calmamente - eu vim pra testemunhar contra meu pai!
Paulo levou um choque.
- Então quer dizer...
- Sim! Eu vim fazer a coisa certa! Eu disse que não faltaria com a minha palavra e de qualquer jeito eu pagaria! - respondeu o rapaz com firmeza.
- Sabe... Li sobre o que aconteceu nos jornais e Rebeca me disse que Carlos tentou matá-los!
- Senhor, juro que a minha intenção nunca foi colocar a Rebeca em perigo!
- Não precisa explicar, minha filha contou-me tudo! - explicou Paulo.
David abaixou a expressão.
- Felizmente... Meu pai levou a bala pra nos salvar... - falou com dor.
- E mesmo assim falará contra ele? - o senhor o encarou incrédulo.
- Sim!... Meu pai me pediu e eu estou decidido que é o que devo fazer! - completou firme.
De repente, Sr. Paulo pôde perceber a nobreza e caráter presentes em David. E soube nesse exato instante, porque sua filha havia apaixonado-se por ele.
- Muito bem, quando eu chamá-lo... Venha até a sala! - avisou Paulo se retirando, ainda admirado.
O julgamento havia começado. Sérgio esperava tenso por sua sentença. Quando foi chamado para responder as perguntas de Paulo, como advogado de acusação, respondeu com verdade a todas as suspeitas e ainda denunciou com coragem seu sócio.
David foi chamado. Respirou fundo. Olhou para o pai que permanecia sério. Lembrou-se de Rebeca ''eu sei que é difícil... Mas tem que fazer a coisa certa!".
O juiz dirigiu a ele algumas perguntas. Ele contou tudo o que viu.
Após, Sr. Paulo mandou que ele espera-se em uma sala reservada, pois logo sairia o resultado.
David sentou-se aflito. Seu pai poderia sair, ou ser condenado a anos de prisão. Elevou as mãos ao rosto. Estranhamente sentia-se livre. Pela primeira vez não carregava aquela presença atrás de si, aquele passado do qual estava sempre tentando escapar. Finalmente, havia enfrentado seus medos, nem todos porém.
Ouviu alguém mandá-lo voltar. O juiz anunciaria sua escolha. Todos assistiam estáticos. O juiz logo tomou a palavra:
- O ministério publico denunciou no presente processo, o réu Sérgio Martins Nunes aqui presente, como incurso no artigo 257 do código penal pelo crime de desfalque de dinheiro. Uma quantia somada em 132 milhões de reais...
Sérgio tentou segurar a angústia, enquanto David assistia a tudo. Sr. Paulo esperava em tom sério.
- Submetido a julgamento foi o acusado Sérgio Martins Nunes condenado a treze anos de prisão e remissão de uma multa a empresa! - o juiz bateu o martelo.
Sérgio obteve um movimento de alivio. Foi levado pelos guardas. David, então, caminhou entre a desordem de pessoas e jornalistas e o abraçou.
- Pai.... - falou ele abraçado ao senhor.
- Me orgulho de você filho... - Sérgio arfou entre os ombros dele.
Nada o poderia satisfazer mais que o perdão do filho.
Sr. Paulo que recebia as congratulações dos colegas, olhou a cena estático.
Sérgio foi levado então preso.
Rebeca continuava em casa a esperar pela volta do pai. Nada aparecia na tv com a noticia.
Finalmente ouviu seu pai entrar na sala. Veio rapidamente ao encontro dele.
- E então... Como foi o julgamento? O Sérgio foi condenado? - ela perguntou angustiada.
- Sim! - sentou-se ele - a treze anos de prisão!
- Ah não! Imagino como David via ficar ao saber! - ela exclamou desconsolada.
- A verdade filha... É que David ja sabe! Foi ele que testemunhou contra o pai!
Rebeca surpreendeu-se.

quarta-feira, 2 de abril de 2014


Capitulo 130

Raquel ouviu o celular tocar mais uma vez. Devia ser uma de suas amigas. Ignorou.
A porta se abriu.
- Mãe... Eu não quero nada, tá bem? - Raquel falou. Olhou surpresa os rostos de Nicole e Júlia.
- Oi Raquel! - Júlia cumprimentou-a sem jeito.
- Eu não quero conversar, ok? - Raquel desviou o olhar desconfortada.
- Eu... Sinto muito pelo o que eu e Viviane planejamos... A gente pensou que seria o melhor você dizer a verdade logo.
Raquel sorriu sem vontade. Ficou em silêncio com o olhar perdido.
- Eu também tenho algo pra contar - começou Nicole - eu e o Tomas apostamos que ele te conquistaria, me desculpa Raquel, foi só uma brincadeira estúpida!
-... Quer saber? Agora nada mais importa! Eu só quero esquecer tudo! - respondeu Raquel em tom sério - e eu sei que vou conseguir!
Raquel foi abraçada pelas duas.
- Eu e o Tomas... Acabamos ficando na festa! - Nicole revelou distanciando-se.
- O quê? Você e o Tomas? - Raquel sorriu surpreendida - como isso aconteceu?
- Eu não sei... - Nicole envergonhou-se de repente - mas eu queria saber se esta tudo bem!
- Claro! Se você gosta dele vai fundo! Você sabe que eu nunca senti nada por ele!
- Mudando de assunto... Você viu a Rebeca? Parece que ela sumiu durante a festa e ninguém a viu! - Júlia exclamou preocupada.
- Não... Na verdade não!
Raquel pensou por um instante. A ultima coisa que queria pensar era em Rebeca, não podia suportar olhá-la e lembrar do que Pedro sentia por ela.
Rebeca franziu o cenho em confusão ao ver Sheyla aproximar-se.
- O que faz aqui? - perguntou.
- O David me pediu pra não te contar... Mas eu acho que tem o direito de saber!
- Do que está falando?
- O David nunca te traiu Rebeca! Ele só disse que fugiria com a Pâmela pra impedir que a machucassem!
Rebeca levou um choque.
- O Bruno foi a mando do Carlos pra dizer que se ele testemunhasse contra ele, eles iriam atrás de você!
Rebeca elevou as mãos a boca sem reação. Sabia que esse era o motivo, mas não imaginava que seria por sua causa.
- Eu só vim aqui porque eu sei que você o ama Rebeca! E eu não acho justo vocês serem enganados! - continuou Sheyla.
- Eu não acredito... - Rebeca sentou-se levando as lágrimas a face pálida.
A outra adiantou-se até ela.
- Ele gosta de você! Eu sei que ele sente o mesmo! Ele só não te disse nada pra te proteger!... Só queria que soubesse...Agora eu tenho que ir! - saiu.
Rebeca deitou-se com os pensamentos misturados. Não sabia o que pensar, tudo girava em torno de si. Lágrimas inundavam o travesseiro. Tinha sido injusta com ele em todas as acusações.
Mas, por que ele não tinha vindo vê-la  após tudo se resolver? Com certeza, ainda pensava que ela o tinha traído com Pedro. Talvez não a amasse mais.
Após, Rebeca recebeu a visita de todas as suas amigas, menos Raquel.
- A gente veio correndo pra cá! Quando vimos isso! - Viviane aproximou-se afobada.
Viviane trazia um jornal com a noticia do que aconteceu no galpão.
Rebeca lhes contou tudo. Suas amigas a abraçaram.
- E agora... O que vai fazer? Vai falar com o David? - perguntou Viviane.
- Eu... Estou muito confusa agora...
Alguns dias se passaram,  faltando apenas um dia para o julgamento.
David tocava violão sobre o sofá. Sheyla entrou.
- Eu soube que seu pai já está recuperado!
- É! Agora ele já está saudável pro julgamento amanhã! - respondeu ríspido.
- Está preparado pra testemunhar contra ele? - ela perguntou receosa.
Observou ele desviar o olhar desconfortado.
- Não esquece que daqui a alguns dias é o show! Você já compôs a música original?
- Como quer que eu pense nisso agora Sheyla? Com o meu pai sendo julgado e a Rebeca... - levantou-se jogando o violão no chão com força.
- E você ainda gostando da Rebeca, não é?... Ela te ama David, o que está esperando?
- Não, eu já disse que eu não posso fazer ela sofrer mais!... Ela não merece isso!
- Sabe o que eu acho David? Que está tentando fugir do que sente por ela! Você tem medo do que o que sente seja tão grande que perdê-la seja irreparável pra você!... Talvez... Seja disso que estava fugindo todo esse tempo!
Sheyla saiu fechando a porta em um estrondo.
David fechou os olhos tentando afugentar aqueles pensamentos.
Pegou o violão em um gesto brusco. Talvez, Sheyla estivesse certa, e seu medo verdadeiro fosse descobrir o que Rebeca significava para ele.
Enquanto tocava, percebeu vir a mente imagens nítidas que foram tomando conta de sua mente aos poucos.
- Flashback de David - 
Rebeca e ele estavam deitados sobre a grama. Encima, um plano de estrelas. Observou os olhos dela encontrando-se com o azul imenso.
- Sabe... - começou ela sem tirar os olhos de cima - quando eu era pequena... Eu corria a noite e ficava observando as estrelas... Eu imaginava... Que talvez houvesse uma razão para tudo... Uma razão pela qual morrer... Uma razão pra lutar - olhou para ele - uma razão para amar!
- E qual é a sua razão? - ele a encarou fixamente.
- Não sei... Ainda estou procurando! - ela sorriu.
- Fim do flashback - 

terça-feira, 1 de abril de 2014


Capitulo 129

Sheyla veio até o hospital. Ao encontrar David logo abraçou-o chorando.
- Que bom que você está bem! - exclamou ela apertando-o para si. Olhou-o firme - como ele está?
- Está bem! - respondeu ele com firmeza - ele levou dois tiros... - abaixou a face - ele me defendeu...
- Só de pensar que podia ser você! - ela segurou as lágrimas - isso é tudo culpa minha David!
- Do que está falando? - ele a encarou sem entender.
- Isso nunca teria acontecido se a Pâmela não te denunciasse!
- O quê?
- Foi ela David! Ela que te denunciou pra que fosse preso, depois ela contou ao delegado sobre o seu segredo pra te obrigar a sair do país!
- Mas como ela soube? - David exaltou-se sem reação.
- Fui eu! - confessou emocionada - eu havia contado a ela na Espanha! Ela me usou! Eu achei que ela era minha amiga, mas ela só estava me usando!... E por minha causa você foi preso!
David distanciou-se com o impacto daquela verdade.
- Me desculpa David! Eu não disse nada por que ela me ameaçou!
- Não... - ele aproximou-se dela. Pousou a mão sobre sua testa em tom fraternal - não tem que se desculpar de nada! O importante é que nada aconteceu!
Os dois sentaram-se.
- Como... Como conseguiram escapar? - Sheyla o encarou.
Ele pareceu desconfortar-se.
- Rebeca...
- O que? Ela estava la? - ela disse surpresa.
- Sim... Foi ela que chamou a policia!
Sheyla desviou o olhar sem saber como reagir. Após, observou David pensativo.
- Agora que tudo está resolvido pode falar a verdade pra ela!
- Não... - ele negou-se firmemente - eu não posso!
- Como assim David? Agora nada te impede!
- Eu não vou fazer isso com ela! Não quero que ela sofra mais por minha causa... Ela tem uma chance de ser feliz com o Pedro... Não quero tirar isso dela!
- Mas, você...
- Não importa!... Eu não devo ser egoísta! - levantou-se - eu vou falar com os médicos!
 Nicole estava em seu quarto, a cabeça latejava pela bebedeira da noite passada. Mas nada doía mais que sua consciência. Havia beijado Tomas! Logo ele que ela sempre repudiara com nojo. Porem, aquela noite tinha que admitir que ele pareceu ser diferente. Ouviu a porta abrir-se. Eram Julia e Viviane.
- O que fazem aqui? - ela as indagou.
- Bem, você não voltou com a gente ontem na festa!... O que aconteceu? - Viviane sentou-se acompanhada por Julia.
- Nada... - Nicole disfarçou - vocês souberam alguma coisa da Raquel?
- Não! Ela estava muito magoada!... Eu me sinto tão culpada! - Julia exclamou arrependida.
- Eu acho que uma hora ou outra ela tinha que dizer a verdade! - Nicole respondeu.
- Olha só o que a gente achou! - Viviane mostrou a Nicole o celular com a notícia - parece que o Alex e a banda dele foram presos ontem!
- E diz alguma coisa da Pâmela?
- Não... Com certeza ela deu um jeito de escapar! - comentou Julia.
- Sabe o que eu achei estranho? - Viviane falou - nós não vimos a Rebeca!
Raquel desenhava alguns modelitos em seu caderno. Sua mãe batia na porta, mas ela não respondeu. Lágrimas mancharam o desenho. Logo, descartado junto com os outros.
Raquel jogou-se sobre a cama com força. Queria matar dentro de si tudo o que sentia por Pedro. Esquecer as palavras dele. O celular tocou, ignorou, não queria falar com ninguém.
Um semana se passou. Nicole foi até a lanchonete. Encontrou Tomás sentado em uma mesa.
- Então? - ela o indagou com rispidez.
- Eu queria te ver! - ele respondeu sério - a gente precisa conversar sobre o que aconteceu!
- Olha, não aconteceu nada entre a gente, eu estava bêbada e você se aproveitou! - falou irritada.
- Não, que eu me lembre você sabia muito bem o que estava fazendo! - defendeu-se firme.
Ela desviou o olhar incomodada.
-  Você é um idiota mesmo não é? Acha mesmo que eu ia ficar com um qualquer como você? - ela saiu.
Quando alcançava a porta de saída, ele a impediu.
- Nicole eu sei que o que aconteceu significou algo pra você também!
- Você é muito convencido! - ela bradou furiosa.
- Nicole, por que não dá uma chance de alguém gostar de você de verdade? - ele fixou-a - eu quero fazer isso, por que não confia em mim?
Ela o encarou em silêncio.
- Como eu vou saber se gosta de mim, se antes mesmo estava dizendo que queria ficar com a Raquel?
- Eu pensei bastante... - Tomas respirou fundo - a Raquel era só uma aposta, um jeito de provar a mim mesmo algo... Mas eu quero que me dê a chance de a gente tentar!
Ela retirou o braço. Examinou-o por um momento. Aproximando-se com rapidez o beijou.
- Nicole? - Júlia chegou e os viu surpresa.
Os dois distanciaram-se assustados.
- Eu... posso explicar! - Nicole envergonhou-se.
- Não! Acho que não precisa... - Júlia sorriu insinuante.
- A gente se vê então! - Tomás beijou-a na face - até mais Júlia! - saiu.
- Então... O que está rolando entre vocês? - Júlia perguntou a encarando maliciosa.
- Nada!
- Ah por favor Nicole! Não precisa fugir do óbvio! Eu só quero saber se é sério.
- Bem, eu não sei... A gente ficou na praia, na festa de formatura! - sentou-se em um mesa próxima - mas eu não me sinto bem enquanto a Raquel está daquele jeito!
- Mas a Raquel não gosta do Tomás!
- Eu sei... Eu só queria falar com ela! Ela deve estar arrasada! - falou cabisbaixa.
Depois, Rebeca ouviu a porta de seu quarto. Observou surpresa, a face de Sheyla.